Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Redução de despesas com a educação contraria teoria do capital humano

Valter Outeiro da Silveira - 15/05/2019 - 21:55
Estudantes e professores fazem manifestação contra o contingenciamento despesas na educação

Diversas manifestações tomaram o país em torno do contingenciamento dos recursos para as universidades públicas nesta quarta-feira (15), em meio a tratativas do governo em relação a possível reajuste do orçamento em torno do ensino superior.

Manifestação contra cortes na Educação reúne estudantes em frente ao Congresso

Multa de R$ 2,5 bi da Petrobras pode ir para educação, diz Guedes

Continua depois da publicidade

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Artigo de George Psacharopoulos e Harry Anthony Patrinos, do Banco Mundial, avalia os retornos dos investimentos em educação com base na teoria do capital humano, da década de 1960. Embora com retornos decrescentes perante o acúmulo de anos de estudo, um trabalhador com nível superior de educação produz – na média – resultados melhores do que com baixa capacitação.

Educação em foco

Testes internacionais, como o PISA para avaliar a matemática, evidenciam o abismo do nível de educação do Brasil em relação aos outros países. O país permanece abaixo de diversos países selecionados, incluindo Peru, Colômbia e Chile, também sul-americanos.

Segundo os últimos dados estatísticos da OCDE, com elaboração do Money Times, o Brasil permanece com aproximadamente 14,8% de sua população com diploma de curso superior, dos 24 aos 65 anos.

Exclusivo! Cadastre-se para receber um dia antes a Carteira Money Times - O Consenso do Mercado

Confira abaixo artigo completo do Banco Mundial:

Leia mais sobre: Educação, Universidades

Última atualização por Valter Outeiro da Silveira - 15/05/2019 - 22:30