Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Por que a disparada dos preços do Uber no Rio faz sentido?

Opinião - 15/04/2019 - 16:35
O algoritmo do Uber emula a resposta dos preços à escassez, tal qual acontece em grande parte dos mercados

Por Blog do PQ?

Muita gente ficou revoltada com os preços exorbitantes cobrados pelo Uber durante as chuvas que assolaram o Rio de Janeiro recentemente. Mas tal movimento de preços faz sentido nessa situação. O algoritmo do Uber emula a resposta dos preços à escassez, tal qual acontece em grande parte dos mercados.

Vamos pensar em um exemplo fictício para ilustrar. Suponha que, em uma cidade, o consumo de laranja seja provido pelos produtores mais próximos. Como trazer de longe custa dinheiro, fica mais barato comprar do produtor local mesmo.

Continua depois da publicidade

Como declarar investimentos no IR? Baixe agora o nosso guia completo

Invista em Imóveis de Maneira Inteligente e Seja Dono dos Maiores Empreendimentos do Brasil [SAIBA COMO] <<<

De repente uma praga prejudica a produção de laranja da cidade. Entra em ação o sistema de preços. Com a escassez mais aguda, os preços sobem, tornando viável trazer laranjas de fora da cidade.  Há menos laranjas à disposição do que havia antes. No entanto,  se o preço não se mexesse, a situação seria muito pior, porque ninguém se habilitaria a trazer o produto de longe.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Vamos agora aplicar essa lógica ao caso do Uber durante as chuvas no Rio de Janeiro. Se o preço permanecesse o mesmo, pouca gente se arriscaria nas condições pelas quais passava a cidade. Porém, a disparada no preço faz com que alguns motoristas topem a aventura para ganhar uns trocados a mais.

Em outras palavras, se os preços não mudassem, não haveria Uber para ninguém. O preço exorbitante possibilita corridas pelo menos para algumas pessoas – justamente aquelas que topam pagar os valores mais altos.

Última atualização por Diana Cheng - 15/04/2019 - 16:35