Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Petróleo cai novamente com temores de recessão global e aumento de estoques

Investing.com Brasil - 15/08/2019 - 13:40
Petróleo
Durante a noite o petróleo teve uma leve estabilização mesmo sob nova onda de temores (Imagem: Reuters/Nick Oxford)

Por Investing.com 

Os preços do petróleo bruto caíam ainda mais no início do pregão dos EUA na quinta-feira, depois que uma breve estabilização durante a noite se desmoronou sob uma nova onda de temores de recessão.

O West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova York e referência de preço nos EUA, havia caído 73 centavos, o 1,39%, para US$ 54,52 o barril, perto de suas baixas para a semana.

O índice de referência internacional, o Brent cai 2,10%.

Os temores de uma recessão global, com todos os efeitos decorrentes na demanda por petróleo, aumentaram novamente durante a noite, quando Pequim sinalizou que vai retaliar a última iniciativa do presidente norte-americano Donald Trump de impor tarifas sobre todas as importações norte-americanas da China.

Com o enfraquecimento da demanda, as preocupações de que o mercado cairá em outro excesso de oferta estão crescendo. Dados divulgados na quarta-feira pela Administração de Informação de Energia (EIA, na sigla em inglês) mostraram pela segunda semana consecutiva um aumento dos estoques de petróleo nos EUA, embora analistas sugerissem que a manchete escondia uma imagem de demanda ainda forte.

Analistas do ING notaram que a demanda por gasolina atingiu um recorde de 9,93 milhões de barris por dia na semana passada.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

A formação de estoques, segundo eles, foi causada principalmente por menores taxas de utilização das refinarias, que caíam 1,6 ponto percentual, para 94,8%, enquanto as importações também aumentaram mais de 550 milhões de barris diários para uma média de 7,7 milhões de barris por dia.

Notícias do exterior também apontaram piora no balanço entre oferta e demanda na quinta-feira.

Relatórios sugerem que o Iraque, o segundo maior produtor de petróleo da OPEP, continuou a bombear acima do limite de produção acordado em julho, produzindo uma média de 4,85 milhões de barris por dia. Isso foi pouco alterado em relação a junho e mais de 300.000 b / d acima do teto de produção.

Os números vêm apenas alguns dias depois que a Agência Internacional de Energia revisou para baixo suas previsões de crescimento da demanda neste ano e no próximo.

Enquanto isso, houve uma reviravolta dramática nas negociações emaranhadas para neutralizar a tensão no Golfo Pérsico, enquanto o Departamento de Justiça dos EUA processava um petroleiro iraniano que havia sido capturado pelas forças armadas britânicas em julho.

“O Departamento de Justiça dos EUA solicitou a aprovação da Graça 1 em várias alegações que agora estão sendo consideradas”, disse o governo de Gibraltar em um comunicado. “O assunto retornará ao Supremo Tribunal de Gibraltar ao meio dia de hoje.”

Os futuros de Natgas, enquanto isso, subi am 1,0%, para US$ 2,16 por 10.000 MMBtu.

Última atualização por Rafael Borges - 15/08/2019 - 13:43