Últimas Notícias Nova Previdência Cotações Comprar ou Vender Criptomoedas Empresas
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Veja as ações estreantes nos índices da B3; Taurus entra em Small Caps

Arena do Pavini - 07/01/2019 - 15:45
(Divulgação/Facebook)

Por Arena do Pavini – A nova carteira do Índice Bovespa, válida até abril, entrou em vigor hoje, com a inclusão das ações ordinárias (ON, com voto) de Petrobras Distribuidora (BRDT3) e as saídas da ação preferencial (PN, sem voto) série B da Copel (CPLE6) e da ordinária de Fibria (FIBR3). A fabricante de celulose está se unindo à Suzano Papel. Com isso, o índice, que tinha 66 ações, agora terá 65, de 62 empresas, já que algumas tem mais de um tipo de ação no indicador.

Veja as ações da Carteira Money Times para janeiro

Os cinco ativos com maior peso na composição do índice são: Itau Unibanco PN (10,801%), Vale ON (10,774%), Bradesco PN (8,570%), Petrobras PN (7,208%) e Petrobras ON (5,015%). Para efeitos de comparação, os ativos que apresentaram o maior peso na composição da carteira anterior do índice válida de 03 de setembro de 2018 a 04 de janeiro de 2019 foram: Vale ON (12,886%), Itaú Unibanco PN (10,442%), Bradesco PN (7,180%), Petrobras PN (6,444%) e Ambev ON (6,421%). Destaque para o aumento da participação de Petrobras no índice, desbancando a Ambev, que passou por um momento negativo pelos resultados abaixo do esperado.

A composição do índice é importante porque muitos investidores locais e estrangeiros a usam para montar suas carteiras. Dessa forma, podem usar o mercado futuro de índice para proteger suas aplicações ao menos parcialmente. Outros usam o índice como referência para aplicações no país, uma vez que o Ibovespa reúne as maiores empresas por valor de mercado que são mais negociadas, ou seja, mais líquidas, fáceis de comprar e vender. E há os fundos passivos, que simplesmente compram as mesmas ações do índice. Uma ação que entra no índice ganha portanto espaço nas carteiras dos grandes investidores e quem sai perde espaço.

B3 divulga regularmente três prévias das novas composições dos índices: a 1ª prévia, no primeiro pregão do último mês de vigência da carteira em vigor; a 2ª prévia, no pregão seguinte ao dia 15 do último mês de vigência da carteira em vigor e a 3ª prévia, no penúltimo pregão de vigência da carteira em vigor. A B3 também divulga as carteiras dos outros índices calculados. As alterações estão nos arquivos anexos.

IBrX-50 tem 4 entradas e 5 saídas

Mas não foi só o Ibovespa que atualizou sua carteira. Outros 22 índices, incluindo o Ifix, que fundos imobiliários, também foram atualizados. No Índice Brasil Bovespa 50 (IBrX-50), que reúne as ações das 50 maiores empresas do mercado e as mais negociadas, e que serve de referencial para o fundo passivo com cotas negociadas em bolsa It Now PIBB (PIBB11), o mais antigo ETF do Brasil, entraram quatro ações: Gol PN (GOLL4), Petrobras Distribuidora (BRDT3), Eletrobrás PNB (ELET6) e Natura ON (NATU3).

Saíram do índice Fleury ON (FLRY3), MRV ON (MRVE3), Equatorial ON (EQTL3), Fibria ON (FIBR3), Log Com Properties ON (LOGG3). O índice tinha 51 ações e agora passou a ter 50.

Hapvida e Intermédica entram no IBRx-100

Já o IBrX 100, que é mais usado por fundos de pensão e alguns fundos de investimentos, registrou a entrada de Hapvida ON (HAPV3), Tenda ON (TEND3), Tupy ON (TUPY3), Intermédica ON (GNDI3) e Cemig ON (CMIG3).

Saíram Alupar Unit (ALUP11), Arezzo ON (ARZZ3), Lojas Americanas PN LAME4, Wiz ON (WIZS3) e Fibria ON (FIBR3).

Forjas Taurus entra nos índices de Governança e Small Caps

Estrela do mercado após a ascensão política de Jair Bolsonaro, as ações preferenciais da fabricante de armas Forjas Taurus são destaque, estreando em quatro índices da bolsa. De papel negociado por menos de R$ 1,00, quase expulso do pregão pelo baixo valor, a empresa chegou a subir 1.000 no ano passado com os primeiros sinais de vitória do capitão reformado, que tem como principal item de sua plataforma a ampliação do direito de compra e porte de armas pela população. Acabou recuando depois e fechou o ano com alta de 180% no papel ON, maior alta da bolsa, e o PN, 131%, a sexta maior alta, um movimento que mostra o risco de o investidor entrar na euforia em uma ação especulativa.

Papel sobe mais de 70% em 3 dias

Só nestes três primeiros pregões de 2019, porém, a ação ON da Forjas Taurus já subiu 70% até sexta-feira, enquanto o PN sobe 77,8%.

Forjas Taurus PN passou a fazer parte do Índice Brasil Amplo (IBrA), que reúne todas as ações com um mínimo de liquidez, excluindo os recibos de ações estrangeiras (BDR). O índice tem hoje 139 papéis, entre os quais agora a fabricante de armas.

A Taurus, que até alguns anos atrás enfrentava disputas entre acionistas e controladores, também faz parte agora do Índice de Governança Corporativa Trade (IGTC) e do Índice de Small Caps, ou de pequenas empresas (SMLL) e do Índice do Setor Industrial (INDX).

Desses índices os mais relevantes são o de governança (IGTC) e o de Small Caps (SMLL), que são acompanhados por alguns gestores de fundos de ações e tem fundos passivos com cotas negociadas em bolsa.

A entrada de Forjas Taurus nesses índices deve aumentar ainda mais sua liquidez no mercado.

Receba dicas EXCLUSIVAS de investimento em seu e-mail – Não é propaganda