Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Se o dinheiro segue o talento, criptoativos têm um grande futuro

Daniela Pereira do Nascimento - 07/11/2019 - 15:30
Investidores inteligentes sabem que mercados prósperos atraem uma onda de incríveis talentos em busca de novo dinheiro

Por Alex Lielacher, da Brave New Coin

Nos últimos meses, teve uma transição de equipes de alto nível da indústria financeira tradicional para as startups de cripto. O dinheiro institucional vai segui-las?

Pacotes de remuneração em transações bancárias estão ainda menores do que eram antes da crise financeira global de 2008. Bancos se “desarriscaram” e diminuíram, aumentando a competitividade do mercado de serviços financeiros.

Esses fatores, combinados com o atrativo de participar de uma indústria nova e hipercrescente, explica por que alguns financiadores tradicionais se uniram ao universo do blockchain.

Vários magnatas de grandes bancos tradicionais estão criando novos bancos voltados para o serviço de criptoativos (Imagem: Bigstock)

Financiadores estão seguindo a maré

Não são apenas os banqueiros “millennials” e desacreditados que estão indo para as empresas de bitcoin. Também há uma onda de executivos seniores estabelecendo novas funções e criando a infraestrutura necessária caso mais alguns de seus antigos colegas decidam segui-los.

Como a Brave New Coin divulgou em julho de 2018, grandes executivos de instituições financeiras tradicionais iniciaram sua migração para novos papéis na indústria dos criptoativos. Essa tendência continuou mesmo após o ápice do bear market (mercado de baixa) de cripto em 2018.

Em setembro de 2018, um grupo de ex-bancários do Union Bank of Switzerland (UBS) lançou o banco Skandinaviska Enskilda Banken (SEBA), localizado no “Vale Cripto” da Suíça.

“Redefinindo profissões em blockchain e finanças”, afirma o banco SEBA (Imagem: Twitter do SEBA)

Comandado pelo novo presidente Andreas Amschwand, que já havia sido o responsável pelos mercados monetário e de câmbio da UBS, o SEBA planeja se tornar um banco de criptomoedas que oferece serviços bancários tradicionais para startups de blockchain, custódia de criptoativos e serviços de gestão de ativos.

Um mês depois, o Fincross International, banco de investimento baseado das Ilhas Maurício para startups de criptoativos e de blockchain, anunciou seu lançamento após receber aprovação logo de início para uma licença bancária da Comissão de Serviços Financeiros das Ilhas Maurício (FSC, na sigla em inglês).

O novo banco é comandado pelo antigo CEO do banco privado Société Générale do Oriente Médio e da África, Eddy Abramo.

Founders Bank tem o objetivo de se estabelecer como um banco que fornece serviços financeiros para startups de criptoativos (Imagem: Facebook do Founders Bank Project)

Em 2019, a tendência continuou. Em maio, o ex-executivo do Deutsche Bank, Kenan Altunis, foi escolhido como CEO do Founders Bank, de acordo com a Bloomberg.

O Founders Bank planeja se estabelecer como um banco favorável aos criptoativos, fornecendo serviços financeiros tradicionais para startups de criptomoedas e blockchain, que tenham tido relações difíceis com fornecedores de serviços bancários tradicionais.

Anteriormente, Altunis tinha comandado o Grupo de Clientes Institucionais do Deutsche Bank, em que gerenciava uma equipe de mais de mil bancários e tinha interações diretas com grandes instituições e reguladores financeiros.

Mark Yusko, da Morgan Creep Capital Management LCC, uniu forças com Anthony Pompliano para criar a Morgan Creek Digital Assets(Imagem: CNBC)

Mark Yusko, fundador, CEO e CIO do Morgan Creek Capital Management, LLC, fundou a Morgan Creek Digital Assets e fez parceria com o antigo “touro” de bitcoin, Anthony Pompliano.

Os dois usam contas influentes do Twitter para defender os investidores institucionais para “sair do zero” e fazer alocações em cripto. Agora, Yusko publica relatórios frequentes em defesa do blockchain como a melhor oportunidade de investimento em décadas.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
O Segredo das Criptomoedas

Se o dinheiro segue o talento, o dinheiro institucional deve entrar em breve no universo de cripto

Enquanto antigos financiadores mais habilidosos e bem-conectados migram para o universo dos criptoativos, irão pavimentar o caminho para o dinheiro institucional.

Quando os criptoativos tiverem um ecossistema que atenda as necessidades de investidores institucionais e a estrutura regulatória necessária, o universo de investimento em blockchain vai fornecer oportunidades cativantes.

Fidelity Digital Assets é o exemplo mais notável de tendência no momento. A empresa de investimentos já possui um número de clientes institucionais enquanto se aproxima cada vez mais do serviço de trading e de custódia de bitcoins.

Fidelity está se expandindo e seu quadro de vagas de emprego tem oportunidades para diversas funções relacionadas a criptoativos.

De forma similar, o lançamento da Bakkt em julho ajuda a atrair o tipo de “players” institucionais interessados em migrar para o universo cripto por meio de uma contraparte regulada, a Intercontinental Exchange (IE), cujo dono é veterano da Wall Street.

(Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento)

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 07/11/2019 - 15:35