Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Prejuízos consecutivos e derrocada da ação após IPO levam Uber a mais demissões

Bloomberg - 11/09/2019 - 7:53
Mais 435 funcionários serão demitidos, conforme planejamento da empresa; segundo grande corte de empregos (Imagem: David Paul Morris/Bloomberg)

Uber Technologies (UBER)  planeja demitir 435 funcionários, o segundo grande corte de empregos neste terceiro trimestre, um reflexo do impacto das crescentes perdas e desvalorização das ações.

Os empregos eliminados fazem parte das divisões de produtos e engenharia, e respondem por 8% do total nesses departamentos. Em julho, o Uber já havia anunciado a demissão de 400 funcionários de marketing, ou cerca de um terço desse departamento.

Quatro meses depois do IPO, as ações do Uber acumulam queda de cerca de 25% em relação ao preço inicial da oferta pública. No mês passado, a empresa de transportes divulgou prejuízo trimestral recorde, de US$ 5,24 bilhões.

Nesta semana, legisladores da Califórnia devem votar um projeto de lei trabalhista que poderia alterar drasticamente a economia informal e impor novos custos ao Uber.

O Uber havia determinado um congelamento das contratações da equipe técnica nos Estados Unidos e Canadá no mês passado. Um porta-voz da empresa disse que o congelamento terminou após os cortes anunciados na terça-feira. A notícia foi divulgada anteriormente pelo TechCrunch.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

“Não estamos fazendo isso por Wall Street“, escreveu Dara Khosrowshahi, CEO do Uber, em e-mail para a equipe na terça-feira. “Estamos fazendo isso pelo Uber. É fundamental que recuperemos nossa vantagem e nos esforcemos continuamente para fazer melhor.”

O Uber tem mais de 27 mil funcionários e planeja contratar em certas divisões. Na segunda-feira, a empresa anunciou planos para contratar 2 mil pessoas em Chicago nos próximos três anos para o Uber Freight, um serviço para conectar caminhoneiros e remessas. A empresa aposta no transporte rodoviário como uma área de crescimento potencial, diante da desaceleração da receita com passageiros.

Leia mais sobre: Ações, Empresas, IPO, Transportes, Uber

Última atualização por Valter Outeiro da Silveira - 11/09/2019 - 8:01