Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Ibovespa futuro em queda em dia decisão do Fomc e do Copom

Investing.com Brasil - 18/09/2019 - 9:32
Mercados Ibovespa
Índice futuro  com queda de 0,29% aos 104.925 pontos (Imagem: Reuters/Amanda Perobelli)

Por Investing.com

Seguindo a tendência dos mercados internacionais, o índice Ibovespa Futuros abre a jornada desta quarta-feira com queda de 0,29% aos 104.925 pontos, com o dólar comercial transacionado a R$ 4,0792, leve alta de 0,05%. Todas as atenções dos investidores nesta quarta-feira estarão voltadas para as reuniões do Fomc e do Copom.

Nos Estados Unidos, a tendência é do Federal Reserve reduzir a taxa de juros da economia local do intervalo de 2-2,25% para 1,75-2%, embora esta semana tenha crescido as apostas de manutenção das taxas por causa de indicadores econômicos robustos, disparada do preço do petróleo após ataques de drones a refinarias sauditas e à falta de liquidez do mercado interbancário nesta semana. Já no Brasil, a expectativa é de redução da Selic de 6,00% para 5,50%.

Apesar do mercado dar como certa as reduções, o grande foco dos analistas está nas explicações e sinalizações que as autoridades monetárias irão dar em seus documentos. Desta forma, será possível prever, com alguma segurança, se haverá ou não novos cortes neste ano, e qual será o tamanho da redução. No caso do Fed, as atenções estarão voltadas para sinalização de adoção de novos instrumentos de política monetária, como a retomada da compra de títulos públicos e corporativos conhecidos como quantitative easing.

Cena Interna

IGP-M

Os preços medidos pelo IGP-M caíram 0,28% na segunda prévia de setembro, deflação menor do que a vista no mesmo período de agosto (-0,68%), informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta quarta-feira.

Na segunda prévia de setembro, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) caiu 0,52%, ante retração de 1,11% no mesmo intervalo de agosto.

Os preços no grupo Bens Finais subiram 0,11% em setembro, após queda de 0,67% em agosto, puxados pelo subgrupo alimentos processados, que saiu de deflação de 0,58% para inflação de 1,15% na segunda prévia deste mês.

Orçamento

O governo vai começar a desbloquear despesas do Orçamento, afirmou na noite de terça-feira o ministro da Economia, Paulo Guedes, citando o descontingenciamento de até 14 bilhões de reais num primeiro momento e mais 8 bilhões de reais depois.

“Começamos a descontingenciar agora. Já vêm aí 12, 13, 14 bilhões. Deve vir mais, uns 8 (bilhões) à frente”, afirmou ele na abertura do Fórum Nacional do Comércio em Brasília.

Segundo a Reuters apurou, o governo do presidente Jair Bolsonaro deverá anunciar no fim desta semana um desbloqueio de 12 bilhões de reais em despesas discricionárias, aliviando o atual aperto sobre a máquina pública.

Reforma Tributária

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou na noite de terça-feira que o governo tentará montar um comitê junto ao Congresso Nacional para a reforma tributária, trabalhando com a Câmara dos Deputados no Imposto sobre Valor Agregado (IVA) e com o Senado na parte de impostos seletivos.

Guedes disse ainda que o governo estudará alguma iniciativa para que os que estavam sonegando impostos passem a pagar (Imagem: REUTERS/Adriano Machado)

alando na abertura do Fórum Nacional do Comércio em Brasília, ele voltou a defender os atributos positivos que um imposto sobre transações financeiras teria, mas reconheceu que a discussão foi enterrada por ora.

No entanto, o ministro destacou que o governo quer promover um choque de emprego e que irá mexer na desoneração da folha de pagamento para tanto. Guedes disse ainda que o governo estudará alguma iniciativa para que os que estavam sonegando impostos passem a pagar.

Antes, o eventual imposto sobre pagamentos era tratado pelo governo como o instrumento para compensar a desoneração da folha, sendo também defendido como uma investida para alcançar a economia informal e os sonegadores.

Cena Externa

Guerra Comercial

O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), o brasileiro Roberto Azevêdo, afirmou nesta terça-feira que os ataques a instalações de petróleo na Arábia Saudita integram o quadro de riscos geopolíticos que podem afetar a taxa de expansão da economia mundial.

Esses riscos, segundo Azevêdo, se somam ao imposto pela guerra comercial, cuja escalada, segundo ele, pode ter um efeito acentuado sobre o crescimento, tanto por vias diretas quanto por vias indiretas, ao alimentar as incertezas.

Azevêdo, que se reuniu com o chanceler Ernesto Araújo, afirmou que declarações recentes dos Estados Unidos e da China levam a uma expectativa “um pouco melhor”, mas ele frisou que as conversas são “muito complexas, muito delicadas, muito sensíveis”.

Petróleo

A Arábia Saudita vai restaurar até o final de setembro sua produção de petróleo perdida de 5,7 milhões de barris por dia (bpd), disse o ministro de Energia do país nesta terça-feira, após ataques a instalações do país no final de semana.

O príncipe Abdulaziz bin Salman disse que a produção de petróleo em outubro será de 9,89 milhões de bpd, e que a maior exportadora mundial da commodity manterá toda a oferta petrolífera a seus clientes neste mês.

Bolsas Internacionais

O Nikkei registrou queda de 0,2% encerrando aos 21.960 pontos, enquanto o Hang Seng caiu 0,1% aos 26.754 pontos. Na China, o índice de blue-chip CSI300 avançou 0,5% para os 3.910 pontos, com o Shanghai Composite recuando 0,3% para os 2.985 pontos.

Na Europa, a quarta-feira é marcada por ganhos nos principais mercados acionários, com o DAX, de Frankfurt, somando 0,10% aos 12.385 pontos, enquanto que em Londres, o FTSE soma 0,14% aos 7.330 pontos. Já em Paris, o CAC avança 0,20% aos 5.626 pontos.

Commodities

Na sessão desta quarta-feira, os contratos futuros do minério de ferro tiveram uma sessão de queda nos preços, na bolsa de mercadorias da cidade de Dalian, na China. O ativo com o maior volume de negócios, para janeiro de 2020, o fechamento foi em 661,00 iuanes por tonelada, com queda de 0,68% com base no preço de liquidação da véspera, de 665,50 iuanes por tonelada, variação diária de 4,50 iuanes.

Minério de ferro
Minério de ferro com leve desvalorização na bolsa de Dalian nesta quarta-feira (Imagem: Facebook oficial Vale)

No caso do vergalhão de aço, o dia também foi de redução dos preços dos papéis futuros do produto, que são transacionados na também chinesa bolsa de mercadorias da cidade de Xangai. O contrato mais líquido, para janeiro do ano que vem, perdeu 47 iuanes para 3.493 iuanes por tonelada. O segundo mais negociado, de maio de 2020, cedeu 45 iuanes para 3.309 iuanes por tonelada.

A sessão é mais uma vez de queda nos preços internacionais do petróleo depois de que a Arábia Saudita afirmar ter condições de retomar a normalidade de sua produção antes do esperado. Com isso, o barril do tipo WTI, referência de Nova York, recua 0,51%, ou US$ 0,30, a US$ 58,80, com o Brent, de Londres, perdendo 0,37%, ou US$ 0,24, a US$ 64,31.

Mercado Coraprativo

Vale

As investigações em curso sobre o rompimento da barragem de mineração da Vale (VALE3) em Brumadinho (MG), em 25 de janeiro deste ano, deverão ser concluídas nos próximos dias, afirmou nesta terça-feira o procurador-geral de Justiça de Minas Gerais, Antônio Sérgio Tonet.

O colapso da estrutura liberou mais de 12 milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério de ferro em comunidades, mata e rios da região, incluindo o importante Paraopeba. Mais de 240 pessoas morreram, grande parte de funcionários da própria mineradora.

“O Ministério Público está trabalhando em conjunto com a Policia Civil, Ministério Público Federal, Polícia Federal e tem convicção de que, nos proximos dias, nós entregaremos uma solução, vamos concluir as investigações criminais e apontar à Justiça os culpados”, afirmou Tonet a jornalistas.

A declaração foi feita após o procurador-geral participar de cerimônia para receber, em nome das instituições que trabalham nas investigações, o relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Barragem de Brumadinho, instaurada pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

Soja

A empresa alemã Bayer depositou a quantia de 286,3 milhões de reais em uma conta judicial no Brasil referente a uma disputa judicial sobre a validade de uma reconhecida patente de semente de soja.

Segundo a Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado do Mato Grosso (Aprosoja), que teve acesso à informação dos autos nesta terça-feira, o depósito foi feito dia 13 de setembro e cumpre decisão judicial exarada no início do mês.

A Bayer já havia depositado 11,9 milhões de reais relacionados ao caso, correspondentes a 4% dos royalties cobrados pelo uso da tecnologia da semente geneticamente modificada Intacta RR2Pro, que oferece tolerância ao herbicida glifosato e resistência a insetos.

As quantias permanecerão em uma conta judicial até o julgamento do mérito da ação.

A obrigação de depositar os 286,3 milhões de reais adicionais marcou um novo revés para a Bayer após a compra da norte-americana Monsanto, que desenvolveu a semente de soja geneticamente modificada Intacta.

TecBan

A TecBan está construindo um sistema com os bancos digitais para facilitar o acesso à rede de caixas eletrônicos Banco24Horas, o que deve permitir redução dos custos de operações como saques.

Segundo Tiago Aguiar, responsável pela área de novas plataformas da TecBan, o arranjo permitirá que fintechs, bancos sociais e instituições de pagamento criem ‘hubs’, uma espécie de plugue para conexão direta à rede que pode oferecer os serviços para várias entidades simultaneamente, diluindo os custos.

Hoje as instituições controladoras da TecBan — Itaú Unibanco, Bradesco, Banco do Brasil, Santander Brasil, e Caixa Econômica Federal — e cerca de 40 outras instituições têm conexão direta com o Banco24Horas.

Instituições mais recentes acessam a rede por meio da Cirrus, braço da bandeira de cartões Mastercard e pagam por uma transação de saque um valor unitário de até 6,50 reais, valor até 80% maior do que o pago pelos grandes bancos, segundo especialistas do setor.

GM

A General Motors transferiu os custos de seguro de saúde de seus trabalhadores em greve para o sindicato United Auto Workers (UAW), enquanto seus membros faziam piquete pelo segundo dia nesta terça-feira, no Estados Unidos.

O UAW começou na segunda-feira a primeira greve em toda a empresa na GM em 12 anos, dizendo que as negociações para um novo acordo nacional cobrindo cerca de 48.000 trabalhadores por hora atingiram um impasse.

Já era esperado que as negociações deste ano entre o sindicato e a GM, a Ford Motor e a Fiat Chrysler Automobiles NV fossem difíceis, com questões espinhosas, como custos com saúde, participação nos lucros e uso de trabalhadores temporários.

Agenda de Autoridades

– Jair Bolsonaro

Ainda se recuperando da cirurgia realizada na última semana, o presidente da República está em Brasília, mas sem cumprir agenda oficial.

Paulo Guedes, ministro da Economia

Reunião semanal com o secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues;

Reunião com o ministro da Controladoria-Geral da União, Wagner do Rosário;

Reunião com presidentes das agências reguladoras;

Audiência com o deputado federal Felipe Francischini (PSL/PS), presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

 

Leia mais sobre: Ações, Ibovespa, Investing.com, Mercados

Última atualização por Valter Outeiro da Silveira - 18/09/2019 - 9:45