Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Ibovespa busca seu rumo entre indefinição no curto prazo e tendência principal de alta

Valter Outeiro da Silveira - 14/10/2019 - 13:04
Mercados Ibovespa
Analistas técnicos avaliam perspectivas para índice da bolsa paulista (Imagem: Reuters/Paulo Whitaker)

“No longo prazo, o índice permanece em tendência de alta, conforme a linha de tendência de alta e a média móvel de 200 períodos, abaixo do gráfico de preço”.

A avaliação é de José Castro, especialista da Inversa, e resume a percepção dos investidores em relação à bolsa paulista, com indefinição no curto prazo e tendência de alta no longo prazo.

De acordo com a análise técnica, a resistência do Ibovespa se encontra em 106.650 pontos. Já o suporte do índice está atualmente em 99.826 pontos. A tendência de curto prazo é indefinida e a de longo prazo é de alta.

Chegou a nova newsletter Comprar ou Vender

As melhores dicas de investimentos, todos os dias, em seu e-mail!

Retomada de curto prazo em foco

Para a Bradesco Corretora, “o Ibovespa confirmou uma formação em “W” no gráfico diário após vencer a resistência dos 102.500 pontos e sobe agora para testar a reta que passa aos 105.500 pontos, ponto decisivo para a retomada do rali de curto prazo”.

Por sua vez, do lado dos indicadores, “o estocástico (indicador de momento muito utilizado na análise técnica, principalmente para análises de curto prazo) também acelerou na alta, mas ainda encontra espaço antes de atingir sua zona de sobrecompra, liberando o índice para mais alguns dias de alta”.

Na avaliação da equipe da Bradesco Corretora, o suporte do índice se encontra na região de 99.800 pontos. Já a resistência está em 105.000 pontos.

Tendência indefinida

Para o dólar, o especialista da Inversa Mateus Fontanini avalia que a divisa norte-americana agora possui tendência “apenas como indefinida”, ao contrário do viés negativo no curto prazo observado anteriormente.

Fontanini destaca a atuação do Banco Central em três frentes: venda à vista de dólares, através da utilização das reservas internacionais, swap tradicional e swap reverso.

“A tendência de longo prazo permanece de alta, com a média móvel de 200 períodos bem abaixo do gráfico de preços”, aponta o especialista da Inversa.

A resistência se encontra em R$ 4,195 e o suporte está em R$ 4,031. A tendência de curto prazo é indefinida e a de longo prazo é de alta.

Última atualização por Valter Outeiro da Silveira - 14/10/2019 - 14:53