Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Henrique Bredda: Para onde vai a Bolsa?

Opinião - 28/03/2019 - 19:58

Por Henrique Bredda, Portfolio Manager at Alaska Asset Management* – Siga no Twitter, Instagram e Linkedin

Discursos políticos influenciam a bolsa? Sim e não. Votações de PECs influenciam a bolsa? Sim e não. Tweets do Trump ou Bolsonaro influenciam a bolsa? Sim e não. STF influencia a bolsa? Sim e não. Qual a diferença entre o “sim” e o “não”? O tempo.

Vejamos um caso prático de uma empresa muito bem gerida: Lojas Renner (LREN3). Repare nos últimos 10 anos o que aconteceu com o preço da ação e o lucro líquido por ação (últimos 12 meses):

Continua depois da publicidade

Voltamos às perguntas originais: discursos políticos, votações de PECs, tweets do Trump ou Bolsonaro, STF influenciam a bolsa? Sim, no curto prazo, e não, no longo prazo. Repare nas quedas no meio do caminho. Quantas e quantas vezes a ação desabou por várias idiotices de curto prazo…

E não são quedas pequenininhas. São quedas de matar qualquer “investidor” de CDI, ou de multimercado de “low vol” do coração. Mata mesmo, pelo menos financeiramente. Quedas de 70%, 28%, 31%, 30%, 20%, 26%, etc. Todas as quedas com motivos extremamente fortes e convincentes.

Apesar das neuroses com discursos políticos, votações de PECs, tweets do Trump ou Bolsonaro, STF, etc, reparem que o preço da ação corre atrás do lucro da empresa. Essa lógica funciona para a Renner, para Magazine Luiza (MGLU3), para Rumo (RAIL3), para o S&P500, pro Ibovespa. Essa lógica é soberana.

Lanço a seguinte pergunta: se a reforma da previdência passar hoje, amanhã ou só daqui 8 meses, vai mudar SUBSTANCIALMENTE o lucro da Renner, Magazine ou da Rumo de 2023 ou de 2025? Pois é pra lá que vai o preço da ação.

Mas se o seu jogo for o curto prazo, o de tentar antecipar/adivinhar conteúdos dos discursos políticos antes de acontecerem, como serão as votações de PECs, qual o próximo tweet do Trump ou Bolsonaro, pouco importa pra onde o lucro da empresa vai. Aliás, pouco interessa a companhia.

Seguimos a mesma conduta por aqui. Hora de dar uma boa rebalanceada. Vendendo algumas q estão se aguentando, caindo pouco ou até subindo, e colocando um capital adicional nas que estão caindo exageradamente.

Abraços!

* Os textos e opiniões do gestor são coletadas de suas redes sociais com a autorização do autor.

(Texto publicado originalmente no dia 27/3/2018)

Veja também:

Entrevista: Gestor Henrique Bredda do Alaska revela suas estratégias

Exclusivo: O que os grandes investidores no Brasil estão comprando?

Última atualização por Gustavo Kahil - 28/03/2019 - 20:06