Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Empresas de tecnologia no alvo: Trump vai atrás das grandes

Investing.com Brasil - 04/06/2019 - 7:56
Além disso, os mercados também estavam cautelosos com a última ameaça de Trump para aumentar as tarifas sobre bens do México para tentar forçar o governo mexicano a impedir a imigração ilegal (Imagem: Por Investing.com)

 Por Investing.com 

O governo dos EUA está se preparando para investigar se o Google (NASDAQ:GOOGL), a Amazon (NASDAQ:AMZN), o Facebook (NASDAQ:FB, e a Apple (NASDAQ:AAPL) abusam de seu enorme poder de mercado, configurando o que poderia ser uma investigação inédita e abrangente de algumas das maiores empresas de tecnologia do mundo.

A Comissão Federal de Comércio (FTC, na sigla em inglês) e o Departamento de Justiça, que aplicam as leis anti-monopólio nos Estados Unidos, dividiram supostamente a supervisão das quatro empresas, com a Amazon e o Facebook sob a supervisão da FTC, e o Google e a Apple no Departamento de Justiça.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

O presidente Donald Trump, já havia solicitado um exame mais detalhado das mídias sociais e das empresas de busca, acusando-as de suprimir vozes conservadoras online.

Trump também criticou repetidamente a Amazon por tirar proveito do Serviço Postal dos EUA, enquanto frequentemente visava atacar o presidente-executivo da Amazon, Jeff Bezos, que é dono do Washington Post, um jornal que frequentemente critica Trump.

A notícia arrastou as ações de tecnologia na segunda-feira, com o Nasdaq despencando 1,6%. A queda levou o índice para mais de 10% abaixo de sua alta no final de abril.

Um declínio de 10% de um pico é uma definição comum de correção.

Enquanto isso, o S&P 500 está 7,1% abaixo do pico de abril, enquanto o Dow está 7,9% abaixo do pico de 52 semanas alcançado no último outono.

Somando-se ao humor pessimista, a retórica hostil entre os EUA e a China continuou enquanto Washington acusava os negociadores chineses de recuarem em elementos importantes de um acordo comercial que havia sido amplamente negociado por ambos os lados.

Além disso, os mercados também estavam cautelosos com a última ameaça de Trump para aumentar as tarifas sobre bens do México para tentar forçar o governo mexicano a impedir a imigração ilegal.

Última atualização por Bruno Andrade - 04/06/2019 - 7:56