Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Dieta fiscal, impostos simples e Selic em 4,75%: Bank of America projeta novo Brasil

08/10/2019 - 15:00
Analistas apresentam projeções para economia brasileira (Imagem: Pixabay)

“No Brasil, o foco principal tem sido a reforma da Previdência”. A avaliação está contida em relatório do Bank of America Merrill Lynch e evidencia a preocupação dos investidores em torno da saúde fiscal da economia brasileira.

Os analistas ressaltam que as despesas com previdência social ultrapassam 50% do total de gastos do governo, sendo a reforma “necessária para conter a expansão fiscal”.

A expectativa do banco norte-americano é de US$ 800 bilhões em economias para os cofres públicos ao longo de dez anos, cerca de 12% do PIB do Brasil.

Chegou a nova newsletter Comprar ou Vender

As melhores dicas de investimentos, todos os dias, em seu e-mail!

Curto e longo prazos

A projeção do Bank of America Merrill Lynch se iguala à economia atingida na última sessão do Senado, embora maiores desidratações possam ocorrer a frente.

“Os resultados dos cortes nos benefícios são contracionistas no curto prazo, porém no médio a longo prazo devem estimular a economia via menores custos de financiamento”, ponderam os analistas.

Adicionalmente, o banco ressalta a importância da reforma tributária na agenda do governo e avalia que o objetivo principal é estimular o crescimento via simplificação do sistema de impostos.

“Contudo, no curto prazo, o impacto desta iniciativa pode ser também negativo, tendo em vista que as firmas deverão postergar decisões de investimento diante das incertezas em torno da natureza exata da reforma tributária”, apontam os analistas.

Projeções

O Bank of America Merrill Lynch espera que o Banco Central do Brasil realize afrouxamento monetário neste ano de 75 pontos-base, levando a Selic para a mínima histórica de 4,75% ao ano.

Em relação ao crescimento da economia brasileira, os analistas estão mais pessimistas do que o boletim Focus: projeção de 0,7% de expansão do PIB, contra alta prevista de 0,87% pelo consenso do mercado.

Última atualização por Valter Outeiro da Silveira - 08/10/2019 - 15:07