Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Carrefour nega que estaria avaliando proposta por rival francês Casino

Reuters - 11/09/2019 - 9:44
Porta-voz do Carrefour negou nesta quarta-feira que a empresa estaria avaliando alguma oferta feita do rival Casino (Imagem: Andrew Caballero-Reynolds/Bloomberg)

Carrefour negou nesta quarta-feira que estaria analisando uma oferta potencial pelo endividado Casino, depois que a BFM TV informou que o varejista francês estava avaliando uma oferta em ações pelo seu rival.

“Não há oferta, nem rascunho de oferta em cima da mesa”, disse uma porta-voz do Carrefour.

O Casino se recusou a comentar.

Por volta de 8:34 (horário de Brasília), as ações do Casino subiam 2,7%. As ações do Carrefour caíram 0,9%.

A BFM reportou que o Carrefour vinha examinando uma oferta em potencial por várias semanas, citando várias fontes não identificadas.

As conversas iniciais sobre uma proposta envolvendo apenas ações avaliariam o Casino entre 4 bilhões e 4,2 bilhões de euros, ou um prêmio de 25% ao seu valor de mercado no final de junho, disse a BFM. Isso equivaleria a cerca de 39 euros por ação, bem abaixo do preço atual de 45 euros, disseram analistas da Bernstein em nota.

O empresário tcheco Daniel Kretinsky e o parceiro eslovaco Patrik Tkac compraram uma participação de 4,63% no Casino na semana passada, levando a uma recuperação das ações.

A BFM disse que o Carrefour estava considerando adicionar um elemento em dinheiro à sua oferta potencial, elevando-a ao equivalente a 48 euros por ação.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

O Casino está enfrentando dificuldades em um ambiente difícil na França, onde o impacto de uma guerra de preços entre as operadoras de supermercados prejudicou as margens de lucro dos varejistas.

O CEO e acionista controlador do Casino, Jean-Charles Naouri, está procurando maneiras de aliviar as dívidas da empresa e as da controladora Rallye, em parte por meio da venda de ativos.

Última atualização por Rafael Borges - 11/09/2019 - 9:45