Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Cadê os lucros? Goldman Sachs vê desaceleração nas receitas das multinacionais

Valter Outeiro da Silveira - 18/02/2019 - 12:38
(Pixabay)

Diante das decorrências de uma década completa de juros baixos pelos bancos centrais ao redor do mundo, as multinacionais mostram dificuldade crescente na propulsão de lucros a cada trimestre. A despeito das intenções dos bancos centrais de promover crescimento via taxas ínfimas, o que se vê atualmente – e nos últimos anos – é desaceleração do nível de produto global.

BTG, Genial, Coin, Easynvest e Modal miram ignorados pela XP na renda fixa

Neste cenário, Peter Oppenheimer, diretor do Goldman Sachs, destaca que o crescimento global, se não está no inferno, certamente está no purgatório. “Existe uma história mais importante no crescimento que provavelmente terá um impacto significativo nas ações e na precificação do mercado no médio prazo”, afirmou em relatório, justificando “tendência de crescimento em desaceleração”.

Esta desaceleração no crescimento global é consistente com as mensagens vindas das taxas de juros dos títulos soberanos, mesmo com os bancos centrais ao redor do mundo detendo cerca de um terço da dívida mundial. “No Reino Unido, onde temos uma longa história, os yields dos títulos de 10 anos caíram para mínimas históricas desde 1700”, afirma o Goldman Sachs.

Na esteira da desaceleração, Oppenheimer projeta que a expansão dos lucros corporativos “provavelmente permanecerá modesta por um longo período e, com isso, gerando retornos modestos de ações”. Especialmente na Europa, em que observa-se tendência forte de desaceleração nos lucros.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Leia mais sobre: EUA, Internacional, PIB, União Europeia

Última atualização por Valter Outeiro da Silveira - 18/02/2019 - 12:40