Últimas Notícias Tesouro Direto Nova Previdência Cotações Comprar ou Vender Cripto
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Bolsonaro “levantou a sobrancelha” sobre privatização da Petrobras, diz Paulo Guedes

Gustavo Kahil - 18/04/2019 - 4:01
Paulo Guedes
Para Guedes, a privatização da Petrobras “seria um salto muito grande” (Imagem: Valter Campanato/Agência Brasil)

O ministro da Economia, Paulo Guedes, insinuou em uma entrevista concedida à Globo News nesta quarta-feira (17) que o presidente da República, Jair Bolsonaro, está inclinado para uma direção de privatização da Petrobras (PETR3; PETR4).

Exclusivo: Método de Luiz Barsi é revelado em curso inédito

Questionado sobre o recuo de Bolsonaro em sua posição de impedir o aumento do diesel, o economista relatou parte de uma conversa sua com ele sobre uma possível privatização da Petrobras.

Continua depois da publicidade

“O presidente levantou a sobrancelha… Ué, se o preço de petróleo sobe no mundo todo inteiro e não tem nenhum caminhoneiro parando no Trump, na Merkel ou na porta do Macron, será que tem um problema aqui?”, disse.

O presidente, no dia seguinte, teria mandado uma imagem para Guedes em que mostrava 60 bandeiras de empresas no setor de petróleo nos EUA e apenas uma bandeira, a da Petrobras, no Brasil. “Acho que ele quis dizer alguma coisa com isso”, explicou.

A nova onda de IPOs já chegou! Deixe o seu-email e saiba como ganhar com ela!

Para Guedes, a privatização da Petrobras “seria um salto muito grande”, mas o ministro afirmou que outra estatal já está na mira e aprovada por Bolsonaro. Ele, contudo, não revelou o nome.

“Está ficando muito claro para o brasileiro comum o seguinte: tem 5 bancos, 6 empreiteiras, uma produtora de petróleo e refinaria, 3 distribuidoras de gás e 200 milhões de patos”, continuou Guedes. “Ele (Bolsonaro) está aprendendo mais rápido do que os economistas brasileiros”.

Aumento

Após alguns dias de impasse, a estatal anunciou ontem um aumento de R$ 0,10 por litro de diesel nas refinarias. Segundo Guedes, a política de preços da estatal acompanhará a variação do combustível no mercado internacional, mas a periodicidade dos reajustes não será imediata.

O valor do diesel subirá dos atuais R$ 2,14 para R$ 2,24, em média, nos 35 pontos de distribuição no país.

Money Times no Messenger!
Notícias selecionadas para você