Últimas Notícias Nova Previdência Cotações Comprar ou Vender Criptomoedas Empresas
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Ação da BRF é a melhor do setor para ter antes dos resultados, diz BB

Investing.com Brasil - 19/02/2019 - 14:42
(Crédito: Divulgação/BRF)

Por Investing.com – O Banco do Brasil Investimentos (BB-BI) divulgou nesta terça-feira um relatório com as estimativas de resultados das empresas do setor de alimentos e bebidas no quarto trimestre. Entre as companhias cobertas pelos analistas, a expectativa é positiva apenas para a BRF (BRFS3). Para eles, os números de JBS (JBSS3) e Marfrig (MRFG3) devem ser neutros e da Ambev (ABEV3) e da M. Dias Branco (MDIA3) negativos.

O maior projeto de Felipe Miranda > Inscreva-se agora

O BB-BI explica que, mais uma vez, a alta do dólar terá forte impacto na receita de empresas mais expostas ao mercado internacional, como JBS e Marfrig. No entanto, empresas cujos custos são denominados em dólar devem apresentar pressão de margem substancial, como no caso de M Dias Branco.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Para a equipe, no mesmo caminho, também deve caminhar a indústria de carne suína e de frango, com menor rentabilidade, devido aos custos de grãos mais altos a/a. Os analistas explicam que o setor teve um ano de muitas emoções no mercado interno, com o consumo ainda fraco e as empresas passando por profundas reestruturações organizacionais, com algumas melhorias na estrutura de capital no caso da BRF e Marfrig.

Para a BRF, que divulga seu resultado na quinta-feira da próxima semana, a aposta do banco é que os dados sejam positivos, principalmente se seguir a tendência do terceiro trimestre. No geral, os preços mais altos no Brasil e a valorização do dólar a/a devem beneficiar da receita líquida, enquanto os custos mais altos podem limitar os ganhos.

Nesse contexto, o desempenho positivo deve ter origem nos maiores volumes e preços no Brasil e nos menores volumes no segmento Halal devido a novas exigências de abate pela Arábia Saudita, em linha com o que ocorreu no último trimestre, reduzindo assim os custos e beneficiando as margens.

No caminho inverso, dada a restrição imposta pela Europa, foi diminuído gradualmente os volumes na região tornando-a menos representativa na consolidação. A Ásia, por sua vez, ainda pode enfrentar um cenário desafiador devido aos impostos antidumping impostos pela China.

Considerando tudo, o BB-BI espera por receitas de R$ 9 bilhões (+ 2% a/a) e margem EBITDA de 7,6%, contra 7,2% no 4T17.

No mesmo dia, a Ambev também divulga seus resultados. A aposta do banco é que a receita atinja R$ 14 bilhões (-6% a/a) e uma margem EBITDA de 46,6% contra 48,6% no 4T17.

Money Times no Messenger!
Notícias selecionadas para você
Recomendados para você