Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Vendas de smartphones e feature phones caem 6,8% em 2018, segundo pesquisa

Diana Cheng - 22/04/2019 - 19:39
Dos 46,9 milhões de produtos vendidos, 44,4 milhões foram de smartphones e 2,5 milhões de feature phones (Imagem: Pixabay)

O estudo IDC Brazil Mobile Phone Tracker Q4/2018, realizado pela IDC Brasil, revelou que as vendas de celulares caíram 6,8% em 2018 frente ao resultado demonstrado em 2017. Dos 46,9 milhões de produtos vendidos, 44,4 milhões foram de smartphones e 2,5 milhões de feature phones.

“Passamos por três momentos que refletiram negativamente no mercado: a greve dos caminhoneiros, as eleições e a alta flutuação do dólar”, explica Renato Meireles, analista de mercado em Mobile Phones & Devices da IDC Brasil. “O índice de confiança dos investidores diminuiu e, no decorrer do ano, a discussão de temas políticos e socioeconômicos, como a reforma da Previdência e a eleição presidencial, afetaram praticamente todo o setor de tecnologia”.

Ainda segundo o analista, a carência de novidade no setor, principalmente quanto ao design, também influenciou no resultado do índice.

Continua depois da publicidade

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Receita

Diferentemente do resultado das vendas, a receita em 2018, de R$ 58,1 bilhões, subiu 6% em relação ao ano anterior.
Do total de smartphones vendidos, 39,8% deles custavam entre R$ 700 e R$ 1.099 e 35,6% ficaram entre R$ 1.100 e R$ 1.999. As faixas de preço tiveram, respectivamente, baixa de 25,8% e alta de 73,1% ante os resultados de 2017.

O ticket médio apresentou crescimento de 13,8% e passou de R$ 1.149 em 2017 para R$ 1.307 no ano passado.

Projeções para 2019

O setor espera que as vendas de smartphones caiam 4,3% neste ano, fechando em 42,5 milhões de unidades. O número de feature phones também deve cair, chegando a 2,4 milhões de unidades vendidas, queda de 6,3%.

Meireles prevê que o primeiro e o segundo trimestre sejam mais fracos devido à Lei do Bem. “Sem esse incentivo para as fabricantes, o varejo acaba repassando o aumento ao consumidor e isso fará o mercado retrair”, diz o analista. No terceiro e quarto trimestre, a situação deve melhorar com a discussão da reforma da Previdência, o que influencia diretamente na confiança do consumidor.

O analista também projeta que as faixas de preço dos smartphones, de R$ 700 a R$ 1.099 e R$ 1.100 a R$ 1.999, ficarão mais competitivas. Os feature phones permanecerão com ofertas de alguns fabricantes.

Última atualização por Diana Cheng - 22/04/2019 - 19:48