Últimas Notícias Cotações Governo Bolsonaro Comprar ou Vender Empresas Economia
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Veja as 12 ações que mais sobem com Bolsonaro favorito

Investing.com Brasil - 02/10/2018 - 11:30

Por Investing.com – Depois de uma jornada negativa ontem, com pesquisas apontando empate técnico no primeiro turno entre os candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), a terça-feira é bastante distinta, depois do Ibope divulgar um levantamento mostrando o capitão da reserva 10 pontos percentuais à frente do petista.

Bolsonaro está mais próximo da vitória no 1º turno, dizem analistas

Taurus volta a subir mais de 18% com fortalecimento de Bolsonaro

Com isso, o Ibovespa opera em forte alta de 3,07% aos 81.039 pontos, desempenho que é puxado principalmente pelas ações das estatais. São companhias que tendem a ganhar em eventual governo do candidato do PSL, que defende a privatização de boa parte das empresas.

ASSINE A NOSSA NEWSLETTER GRATUITA

Destaque para as ações da Eletrobras (ELET3), que saltam 8,42% a R$ 16,10, para as ON e de 6,52% a R$ 18,94 para os PNB. Caberá ao próximo governo deve depender do próximo governo, uma vez que somente algumas distribuidoras devem ser privatizadas neste ano.

No caso do Banco do Brasil (BBAS3), a valorização é de 6,52% a R$ 30,06, enquanto Petrobras (PETR4) tem salto de 5,38%, em meio a um cenário de alta do petróleo, que também favorece a companhia nos últimos dias.

Estatais regionais também se destacam, como é o caso de Sabesp (SBSP3) (+5,96% a R$ 24,72), Copel (CPLE6) (+6,50% a R$ 22,44) e Cemig (CMIG4) (+4,99% a R$ 7,35).

A forte queda de mais de 1,5% do dólar puxa os ganhos das ações da Gol (GOLL4), que tem ganhos de 6,02% a R$ 11,24, mesmo em um ambiente de alta no preço do petróleo, que afeta o preço do querosene de aviação.

Os bancos também se beneficiam, com Bradesco (BBDC4) subindo 4,93% a R$ 26,80 e o Santander (SANB11) tem valorização de 5,33% a R$ 36,92.

Na ponta oposta, as ações da Suzano (SUZB3), Fibria (FIBR3) e Ambev (ABEV3) recuam, uma vez que o dólar mais fraco prejudica as companhias exportadoras.

Últimas Notícias