Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Vale e siderúrgicas avançam com minério de ferro batendo novo recorde

16/07/2019 - 13:48
Ações da Vele sobem diante de trajetória de alta do minério de ferro (Divulgação: Gabriel Lordêllo/Mosaico Imagem/Vale)

Por Investing.com 

No começo da tarde desta terça-feira na bolsa paulista, as ações da Vale (VALE3) e das principais siderúrgicas são negociadas com valorização, puxadas por novos ganhos nos preços internacionais do minério de ferro.

Os papéis da Vale têm ganhos de 1,35% a R$ 53,40, enquanto os da Bradespar (BRAP4) somam 1,15%. Já entre as siderúrgicas, a CSN (CSNA3) avança 1,79% , enquanto a Gerdau (GGBR4) ganha 1,00% a R$ 15,08. Já Usiminas (USIM5) tem alta de 1,39%.

Os futuros do minério de ferro na China subiram nesta terça-feira e tocaram o maior nível desde o lançamento do contrato, em 2013, com projeções otimistas sobre a demanda no maior produtor e consumidor global de aço ampliando um forte rali da matéria-prima visto neste ano.

O contrato mais negociado do minério de ferro, para setembro, chegou a subir 4,6%, para 924,5 iuanes (134,48 dólares) por tonelada, antes de fechar com avanço de 2,4%, a 905 iuanes. O minério de ferro já se valorizou em 108% neste ano, com os ganhos puxados inicialmente por preocupações com a oferta dos principais exportadores, Austrália e Brasil.

Usiminas

A Standard & Poor’s elevou o rating da siderúrgica de B para B+ pela S&P, com perspectiva estável. A agência de classificação de risco avalia que a companhia foi capaz de refinanciar parte significativa de sua dívida, melhorando sua flexibilidade financeira e liquidez.

Além disso, o entendimento é que os elevados preços do minério de ferro e as condições de mercado levemente favoráveis para o aço devem ajudar a empresa a reduzir sua alavancagem.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Vale

A mineradora Vale disse que suas provisões relacionadas ao rompimento de uma barragem em Brumadinho (MG) em janeiro devem sofrer “eventuais ajustes” no resultado do segundo trimestre.

A informação vem após anúncio na véspera de acordo entre Ministério Público do Trabalho de Minas Gerais (MPT-MG) e a companhia que envolve depósito de 400 milhões de reais pela Vale a título de dano moral coletivo causado a trabalhadores devido ao incidente, que deixou centenas de mortos.

A Vale destacou que havia provisionado 949 milhões de reais (247 milhões de dólares) no resultado do primeiro trimestre, referente a um acordo preliminar assinado com o MPT ainda em fevereiro.

A mineradora disse que o acordo com o MPT também determinou a liberação de um valor de 1,6 bilhão de reais depositado judicialmente em garantia no processo.

Última atualização por Rafael Borges - 16/07/2019 - 13:48