Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

TIM tem leve queda após balanço; lucro teve alta de 2,5% no 1º trimestre

Investing.com Brasil - 08/05/2019 - 10:54
Contrariando o clichê do mercado, Tim tem queda próxima da estabilidade, em 0,17% (Pixabay)

Por Investing.com

A TIM Participações (TIMP3) apresentou nos primeiros três meses do ano lucro líquido de R$ 251 milhões, resultado que ficou 2,5% acima dos R$ 245 milhões registrados no mesmo período do ano passado, quando foi de R$ 245 milhões. No entanto, é 57,2% menor que os R$ 587 milhões obtidos no fechamento de 2018. Com isso, as ações da companhia operam com queda de 0,17% a R$ 11,45.

Quer concorrer a R$ 300? Responda esta pesquisa sobre investimentos em 2 minutos

Continua depois da publicidade

No período, a receita líquida totalizou R$ 4,191 bilhões, montante que representa um avanço de 1,7% na comparação com o intervalo entre janeiro de março de 2018, quando foi de R$ 4,120 bilhões, e também 6,0% abaixo dos R$ 4,457 bilhões do último trimestre do ano passado.

Exclusivo: O segredo para ganhar com Petrobras em qualquer cenário

Desta forma, o Ebita normalizado foi de R$ 1,497 bilhão, contra R$ 1,421 bilhão do mesmo perido do ano passado, um crescimento de 5,3%. Com isso, a margem Ebitda normalizada ficou em 35,7%, um crescimento de 1,2 ponto percentual na base anual, qundo era de 35,5%.

Exclusivo! Cadastre-se para receber um dia antes a Carteira Money Times - O Consenso do Mercado

Nos três primeiros meses do ano, a TIM viu sua base de clientes cair em 4,9% na base anual, de 57,894 milhões para 55,083 milhões. A queda foi sentida principalmente entre os clientes do segmento pré-pago, de 12,5%, indo de 39,426 milhões para 34,504 milhões. Já a base de pós-pago avançou 11,4%, de 18,468 milhões para 20,579 milhões.

Para o BTG Pactual (BPAC11), apesar das avaliações para o ativo mostram-se atraentes, neste momento a desaceleração das receitas e as elevadas exigências de capital podem impedir que as ações sejam reclassificadas significativamente no curto prazo. A recomendação segue de compra, com preço-alvo em R$ 16,00.

Última atualização por Bruno Andrade - 08/05/2019 - 10:54