Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Tesouro Direto registra R$ 1 bilhão em vendas líquidas em abril

Agência Brasil - 27/05/2019 - 11:58
As vendas do Tesouro Direto atingiram R$ 2,61 bilhões, em abril

As vendas do Tesouro Direto atingiram R$ 2,61 bilhões, em abril, enquanto os resgates totalizaram R$ 1,43 bilhão. Com isso, o Tesouro Direto registrou vendas líquidas de R$ 1,18 bilhão, no mês passado, de acordo com dados divulgados hoje (27). Esse é o terceiro maior resultado de venda líquida da série histórica.

Do total de resgates, R$ 1,43 bilhão foram relativos às recompras e R$ 700 mil, aos vencimentos.

O valor médio de operação atingiu sua terceira menor marca na série histórica, registrando R$ 5.321,08, informou o Tesouro Nacional. Além disso, aplicações até R$ 1 mil representaram 64,29% do total, terceiro maior percentual da série histórica. Para o Tesouro, esses resultados mostram maior inclusão de pequenos investidores no programa.

Em abril de 2019, o total de investidores ativos no Tesouro Direto, isto é, aqueles que atualmente têm saldo em aplicações no programa, atingiu a marca de 1.006.547 de pessoas. No mês, 56.697 investidores tornaram-se ativos, o que representa um crescimento de 5,94% em relação ao mês anterior. O número de investidores cadastrados no Tesouro Direto, por sua vez, cresceu em 206.033 e atingiu a marca de 4.006.824 de pessoas.

Continua depois da publicidade

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Títulos

No mês de abril de 2019, foram realizadas 490.453 operações de investimento em títulos do Tesouro Direto, maior número mensal de operações da série histórica, superando janeiro de 2019. O total dessas operações foi de R$ 2,61 bilhões.

O título mais demandado pelos investidores foi o Tesouro Selic. Essa predominância ocorre desde junho de 2017. No mês em referência, o Tesouro Selic representou 49,78% das vendas, com R$ 1,30 bilhão. Por sua vez, as vendas de títulos remunerados pela inflação (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais) somaram R$ 851,06 milhões e corresponderam a 32,61% do total, enquanto as de prefixados (Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais), totalizaram R$ 459,58 milhões, ou 17,61%.

Nas recompras, predominaram os títulos indexados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) – Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais, que somaram R$ 646,17 milhões (45,29%). Os títulos indexados à taxa Selic totalizaram R$ 614,44 milhões (43,07%), os prefixados, R$ 164,67 milhões (11,54%), enquanto os títulos indexados ao IGP-M somaram R$ 1,47 milhões (0,10%).

Continua depois da publicidade
O título mais demandado pelos investidores foi o Tesouro Selic (Imagem: Pixabay)

Segundo o Tesouro Nacional, a exemplo do que ocorreu nos dois meses anteriores, a maior parcela das vendas se concentrou nos títulos com vencimento entre 5 e 10 anos, que alcançaram R$ 2,1 bilhões, valor equivalente a 80,52% do total. Em seguida, as aplicações em títulos com vencimentos acima de 10 anos representaram 13,88%, enquanto os títulos com vencimento de 1 a 5 anos corresponderam a 5,59%.

Estoque

Em abril de 2019, o estoque do programa fechou em R$ 59,30 bilhões, um crescimento de 2,95% com relação ao mês anterior (R$ 57,6 bilhões).

Os títulos remunerados pelo IPCA se mantêm como os mais representativos do estoque do programa, somando R$ 32,93 bilhões, ou 55,54% do total. Na sequência, vêm os títulos indexados à taxa Selic, totalizando R$ 17,3 bilhões (29,18%), e os títulos prefixados, que somaram R$ 9 bilhões, com 15,18% do total. Por último, os títulos indexados ao IGP-M somaram R$ 61,98 milhões (0,10%).

Os títulos remunerados pelo IPCA se mantêm como os mais representativos do estoque do programa

Quanto ao perfil de vencimentos dos títulos em estoque, a parcela com vencimento em até 1 ano fechou o mês em R$ 8,89 bilhões, ou 14,98% do total. A parcela do estoque vincendo de 1 a 5 anos foi de R$ 20,32 bilhões (34,27%) e o percentual acima de 5 anos somou R$ 30,09 bilhões (50,74%).

Continua depois da publicidade

Última atualização por Bruno Andrade - 27/05/2019 - 11:58