Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Startup lança drone para competir com gigantes em entregas

Bloomberg - 09/09/2019 - 15:47
drone
A Flirtey apelidou seu drone de Eagle, que pode armazenar mercadorias – ou um desfibrilador – e usa quatro hélices (Imagem: Pixabay)

Uma startup espera desafiar gigantes como Amazon.com no mercado de entregas por drones com uma nave semelhante a uma cápsula. A Flirtey prevê que um dia o drone possa ser utilizado por lojas para levar produtos aos clientes em questão de minutos.

A empresa também espera entrar no segmento de saúde pública e tem planos de levar desfibriladores diretamente para locais onde há uma emergência, informou a empresa na segunda-feira em comunicado.

“A mais recente tecnologia da Flirtey permite que salvar vidas e entregas comerciais por drones para residências nos Estados Unidos sejam uma realidade iminente”, disse o fundador e CEO da empresa, Matthew Sweeny.

Embora a legislação dos Estados Unidos atualmente não permita voos automatizados de entrega por drones e um sistema de tráfego aéreo de baixa altitude para os dispositivos ainda esteja em desenvolvimento, empresas como Flirtey, Prime Air, da Amazon, e Wing, um braço da Alphabet, que também controla o Google, recentemente exibiram novas aeronaves ou anunciaram planos para voos de demonstração.

A Flirtey apelidou seu drone de Eagle, que pode armazenar mercadorias – ou um desfibrilador – e usa quatro hélices. Ao pairar sobre um ponto de entrega, o dispositivo deposita o pacote no chão com um cordão.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Como alguns de seus concorrentes, a Flirtey participa de um programa de demonstração de drones nos EUA e obteve isenções da Administração Federal de Aviação (FAA, na sigla em inglês) que permite que os operadores controlem mais de um drone por vez e voem além da visão em algumas circunstâncias limitadas.

A Wing, que espera iniciar em breve um programa de demonstração de entregas por drones, foi a primeira empresa a obter certificação da FAA como o equivalente a uma pequena companhia aérea. A Prime Air, Flirtey e outras empresas também buscam aprovação semelhante, um passo para que operem rotineiramente sem ter que buscar isenções dos regulamentos atuais.

Leia mais sobre: Alphabet, Amazon, Bloomberg, Empresas, Startup

Última atualização por Vitória Fernandes - 09/09/2019 - 15:47