Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Se injeção de recursos do FGTS chegar na carne bovina, será voo de galinha, dizem analistas

Giovanni Lorenzon - 17/09/2019 - 16:10
Carne bovina tende a ganhar muito pouco como a injeção do FGTS, mas mais pela baixa oferta de bois (Imagem: Pixabay)

A liberação de saques de contas ativas do FGTS pode estar mexendo com o consumo de produtos mais baratos e que rendam mais, como é o caso do arroz, como Money Times trouxe nesta terça (17). Mas a injeção de recursos na economia também deverá ser usada para pagamentos de dívidas e muito pouco poderá sobrar para a carne bovina no varejo. Quando muito, voo de galinha.

Naturalmente que visto do ângulo econômico a medida do governo Bolsonaro é positiva e pode até resultar em ganhos indiretos na sequência, não só para a proteína bovina mas para outros bens de consumo de preços relativamente mais altos, segundo analista consultados.

Com endividamento menor, começam a sobrar mais recursos para compras em geral. Mas por enquanto isso é especulação sem prazo fixo.

Até agora se avalia que R$ 12 bilhões já tenham entrado na praça, mas o governo anunciou, quando a medida foi aprovada, em R$ 40 bilhões até o final do ano. Ainda não se sabe com certeza, inclusive o que foi liberado do PIS/Pasep.

De todo modo, o volume é considerado pequeno e pontual até mesmo para chamados itens mais baratos da cesta básica. Ajuda, mas não vai se espalhar rapidamente e com força. Como os R$ 25 bilhões que foram liberados no governo de Michel Temer.

Gustavo Rezende Machado, analista da Agrifatto, não acredita em mudança no patamar de consumo, lento da carne, que possa mudar o equilíbrio positivo para a @. Os ganhos atuais do atacado, na carcaça casada, mesmo que implique o varejo aceitando o preço da indústria, vem da oferta restrita. É de 1,44% no acumulado de setembro e 2,27% em 30 dias.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Felippe Reis, da Scot Consultoria, também fala em ganho por disponibilidade menor de animais, e também, como Machado, avalia que alguma coisa lá na frente pode ajudar se chegar a dar algum impacto na economia.

De momento, o escoamento é baixo da carne. “O reflexo disso observamos na margem da indústria, que faz a operação de desossa, que está em torno de 17%, ou seja, abaixo da média histórica de cerca de 20%”, diz Reis, indicando os dados levantados pela Scot.

“Tomara esteja errado, mas creio que o efeito do FGTS no mercado do boi será nulo”, avalia mais conservadoramente Caio Toledo Godoy, da INTL FC Stone.

Na médias dos três consultados aqui, todos concordam: voo de galinha e olhe lá.

Última atualização por Giovanni Lorenzon - 17/09/2019 - 16:14