Últimas Notícias Nova Previdência Cotações Comprar ou Vender Criptomoedas Empresas
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Rodrigo Maia autoriza criação de CPIs de Brumadinho e do BNDES

Agência Câmara - 14/03/2019 - 14:39
Rodrigo Maia
Os atos de criação foram lidos em Plenário e abrem prazo de 48 horas para que líderes partidários indiquem deputados (Imagem: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, autorizou nesta quinta-feira (14) a criação das comissões parlamentares de inquérito (CPIs) de Brumadinho e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Carteira Money Times: O Consenso do Mercado na sua Mão

Garanta um método eficaz para gerar renda adicional periodicamente…

Os atos de criação foram lidos em Plenário e abrem prazo de 48 horas para que líderes partidários indiquem deputados para compor os colegiados. Caso os líderes não indiquem os nomes nesse prazo, o presidente da Câmara pode fazer as indicações. Havendo mais de 50% das indicações, a reunião de instalação das CPIs já poderá ser marcada.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) de Brumadinho foi sugerida pela deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) e conta com a assinatura de outros 194 deputados, superando o número mínimo de assinaturas exigido (171).

Segundo a deputada, o foco da CPI será investigar as causas e os responsáveis pela ruptura da barragem da Mina do Córrego do Feijão, que pertence à mineradora Vale e estava localizada em Brumadinho, em Minas Gerais. O rompimento da barragem ocorreu no dia 25 de janeiro e já causou a morte de, pelo menos, 203 pessoas. Centenas de pessoas permanecem desaparecidas.

Já a CPI do BNDES foi proposta pelo deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP) para investigar empréstimos externos do BNDES realizados, entre 2003 e 2015, a países como Venezuela e Cuba e que mobilizaram, segundo ele, cerca de R$ 16 bilhões. Macris lembra que houve uma CPI sobre o assunto em 2015, mas que, na sua opinião, terminou sem indiciamentos por pressão do governo.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!