Últimas Notícias Imóveis Carteiras recomendadas Comprar ou vender Finanças Pessoais Cripto Economia
Cotações por TradingView

Empresas

Rio Grande do Sul aguarda aval do governo federal para vender ações do Banrisul

Agência Brasil - 28/11/2017 - 15:53

O Rio Grande do Sul espera conseguir aprovação do governo federal para vender ações do banco Banrisul a investidores estrangeiros, disse hoje (28) o vice-governador do estado, José Cairoli, que esteve reunido com o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Eduardo Guardia, em Brasília. Segundo ele, o presidente Michel Temer deve assinar ainda hoje o decreto que autoriza a operação.

O governo do Rio Grande do Sul anunciou em outubro a venda de 49% das ações ordinárias (com direito a voto) da instituição. De acordo com o governo estadual, o Conselho Monetário Nacional, em reunião extraordinária, já aprovou a operação para venda de parte das ações do Banrisul.

Cairoli disse que espera concluir a operação de venda das ações, com entrada de recursos no caixa do estado no dia 14 de dezembro. Ele acrescentou que o dinheiro será usado para pagar contas do estado e colocar os salários de servidores públicos “em dia”. O vice-governador acrescentou que “não se fala mais” em venda do controle acionário do banco. “A decisão já está tomada. Estamos vendendo o que é possível vender, mantendo o controle do estado”, disse.

Segundo o vice-governador, as ações devem ser oferecidas a investidores dos Estados Unidos, Inglaterra e de algum país asiático, como Cingapura.

Recuperação fiscal

Na última semana, a Secretaria do Tesouro Nacional rejeitou o pedido do estado de assinatura de pré-acordo de adesão ao Regime de Recuperação Fiscal. Para o Tesouro, o Rio Grande do Sul descumpre um dos três requisitos de habilitação para entrada no regime.

“Esse requisito determina que as despesas liquidadas com pessoal, juros e amortizações têm de atingir, no mínimo, 70% da Receita Corrente Líquida”. Para a Secretaria Estadual da Fazenda, o Rio Grande do Sul compromete 70,2% da Receita Corrente Líquida (RCL) com essas despesas. Já para o Tesouro, esse percentual está em 57,98%.

Cairoli disse que foi criada uma câmara de conciliação e arbitragem para chegar a um consenso sobre esse cálculo, que difere do aprovado pelo Tribunal de Contas do Estado. A Câmara, com o auxílio da Procuradoria-Geral do Estado (PGE-RS) e a Advocacia-Geral da União (AGU), vai intermediar a adesão ao regime.

O Rio Grande do Sul está negociando a adesão ao regime de recuperação fiscal, como fez o Rio de Janeiro. Em setembro deste ano, o acordo de recuperação fiscal do Rio de Janeiro foi homologado pelo governo federal. O estado fará ajustes de R$ 63 bilhões, até 2020. No ajuste, estão incluídos aumento de receitas, medidas de redução de despesas, empréstimos e suspensão da dívida do estado com a União.

Leia mais sobre: Bancos, Banrisul, Empresas

Últimas Notícias