Últimas Notícias Tesouro Direto Nova Previdência Cotações Comprar ou Vender Cripto
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Quase um terço dos fundos de pensão fica abaixo da meta atuarial em 2018

Arena do Pavini - 14/05/2019 - 15:45
No ano anterior, todos os planos conseguiram bater o objetivo atuarial

Por Arena do Pavini 

Levantamento com 55 planos de fundos de pensão fechados com beneficio definido e contribuição definida feito pela consultoria Luz Soluções Financeiras mostra que 31% deles não conseguiram cumprir as metas atuariais em 2018.

No ano anterior, todos os planos conseguiram bater o objetivo atuarial. Desses que ficaram abaixo da meta necessária para cumprir os compromissos futuros, 41% eram fundos indexados ao IGP-M e IGP-DI e 53% tinham taxa atuarial superior a 5% ao ano.

Continua depois da publicidade

Entre os fundos com contribuição definida, que não garantem um valor fixo de beneficio no final, entre as estratégias, o pior desempenho foi dos fundos conservadores, que sofreram com a queda dos juros em 2018 e dos quais 29% não conseguiram sequer superar o CDI do período.

Exclusivo: O segredo para ganhar com Petrobras em qualquer cenário

O estudo também mostrou que, entre as classes de ativos, as estratégias mais agressivas sofreram com aplicações no mercado imobiliário, operações estruturadas e aplicações no exterior. “São aplicações que possuem uma complexidade maior e isso pode ter afetado o resultado”, afirma Henrique Sinzato, responsável pelo levantamento.

Já os fundos com estratégia moderada, 48% não conseguiram atingir a meta. Entre os de estratégia agressiva, 42% não cumpriram a meta também.

Mudanças com reforma da Previdência

A Luz fez também um estudo sobre os impactos da reforma da Previdência para os fundos de pensão. Mudanças como expectativa de definição de idade mínima, redução de benefícios e as regras de transição devem interferir com a vida de fundações e mantenedoras.

A primeira conclusão é que os fundos terão de investir mais em educação financeira para estimular as novas gerações a poupar mais cedo, para permitir acumulação maior. Essa necessidade, porém, esbarra no perfil da chamada geração milenium, que não quer continuar na mesma empresa por toda vida.

Quer concorrer a R$ 300? Responda esta pesquisa sobre investimentos em 2 minutos

A idade mínima de 65 anos para homens, também levará muitos associados a fundos de pensão a adiar aposentadoria e exigira mais contribuições das patrocinadoras.

Outro impacto de custos se dará nos benefícios, especialmente nos planos de saúde. No caso de um funcionário de 46 anos que mudasse a aposentadoria dos 56 anos para os 62 anos, o custo do plano saúde saltaria de R$ 200 mil para R$ 600 mil. Ou seja, aproximadamente três vezes o gastos. A conclusão é que a reforma da Previdência exigirá uma mudança na cultura das pessoas, que vao ter de começar a contribuir mais cedo e aderir mais cedo aos planos de previdência fechados das empresas.

Exclusivo! Cadastre-se para receber um dia antes a Carteira Money Times - O Consenso do Mercado

Money Times no Messenger!
Notícias selecionadas para você