Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Proposta libera carro de pedágio se fila superar 200 metros ou 10 minutos

Agência Câmara - 28/02/2019 - 19:21

O Projeto de Lei 629/19 obriga novas concessionárias de rodovias federais a deixarem de cobrar a tarifa de pedágio sempre que a fila em frente às cabines de pagamento superar 200 metros ou quando o motorista ficar retido nela por mais de 10 minutos.

Apenas para investidores: melhores small caps reveladas

Administradoras que não liberarem a passagem do veículo gratuitamente nesses casos estarão sujeitas à advertência ou multa, conforme regulamentação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Autor do projeto, o deputado Rogério Peninha Mendonça (MDB-SC) explica que, na legislatura anterior, três projetos sugeriam limites para filas de espera em praças de pedágio (Projetos de lei 1561/11, 1926/11 e 2105/11).

Segundo ele, o Projeto de Lei 629/19 funciona como um aperfeiçoamento dessas propostas, já que aproveita os debates sobre o tema já realizados na Câmara dos Deputados. “Relançamos um texto mais enxuto e cujos parâmetros não são tão severos quanto os definidos no substitutivo apresentado pela Comissão de Viação e Transportes”, diz o deputado.

Peninha destaca, por exemplo, que o novo texto retira a obrigatoriedade de revisão dos contratos de concessão de rodovias em vigor. “Assim ninguém poderá alegar qualquer ofensa a ato jurídico perfeito”, finalizou.

Avisos
O projeto também obriga o concessionário de rodovia federal a identificar a extensão da fila de espera e a fixar placas informativas com os dizeres “Limite de espera: 200 metros ou 10 minutos” para orientar os usuários sobre as regras de dispensa do pedágio.

O texto estabelece, por fim, que a ANTT deverá incluir cláusula com essas alterações em todos os novos contratos de concessão de rodovias federais.

Tramitação
O projeto será analisado conclusivamente pelas comissões de Viação e Transportes; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Última atualização por Vitória Fernandes - 28/02/2019 - 19:21