Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Preços recuam e vendas de imóveis usados em SP crescem 18,8% em abril sobre março

Investing.com Brasil - 19/06/2019 - 11:27
O índice Crecisp, que mede o comportamento dos preços dos aluguéis novos e imóveis usados negociados pelas imobiliárias pesquisadas, registrou recuo de 4,67% (Imagem: Money Times)

Por Arena do Pavini

As vendas de imóveis usados cresceram 18,83% e a locação de casas e apartamentos avançou 8,82% em abril comparado a março no Estado de São Paulo. Segundo o Conselho Regional dos Corretores de Imóveis do Estado (Crecisp), pesou nesse aumento a queda dos preços: em abril, o índice Crecisp, que mede o comportamento dos preços dos aluguéis novos e imóveis usados negociados pelas imobiliárias pesquisadas, registrou recuo de 4,67% em relação a março, maior queda este ano.

Para reforçar caixa, Tecnisa deve lançar oferta subsequente em julho, diz Estadão

Continua depois da publicidade

Crecisp não divulgou a comparação de vendas e locação com o mesmo mês do ano anterior, o que mostraria se não foi um movimento sazonal.
Já com relação aos preços, neste ano, de janeiro a abril, o índice acumula aumento de 1,35%, que cai para 0,37% nos 12 meses até abril. O índice Crecisp havia registrado queda em janeiro (- 0,77%) e em fevereiro (- 1.07%) e aumento em março (+ 8,3%).

“Os dois mercados estão pressionados pelo aperto na renda de candidatos à locação e à compra da casa própria, e é por isso que, a médio e mais longo prazos, os preços tendem a fazer uma curva declinante, em paralelo com a curva ascendente de vendas e locação mesmo nesse estado de estagnação econômica que o País vive”, explica José Augusto Viana Neto, presidente do CreciSP.

Imóveis de menor valor

A curva ascendente de vendas e locação, segundo o presidente do CreciSP, é consequência do “ajuste forçado” de preços que os proprietários de imóveis estão fazendo para vender ou alugar. “As pesquisas do CreciSP mostram repetidamente que as vendas se concentram em imóveis de menor valor, que sem desconto não se fecha negócio e que quem não cede a essa depressão dos mercados fica com o imóvel fechado por muito tempo”, afirma Viana Neto.

Imóveis do Minha Casa Minha Vida
O número de vendas de imóveis cresceu, porém no setor de imóveis menos valorizados (Imagem: Agência Brasil)

Segundo os resultados das pesquisas feitas mensalmente pelo CreciSP em 37 cidades do Estado de São Paulo, as vendas de imóveis usados no trimestre janeiro-abril acumulam saldo positivo de 31,94% e a locação de casas e apartamentos, de 18,36%.

Financiados lideram, mas 44% pagam à vista

Em abril, os imóveis usados vendidos com financiamento bancário somaram 46,36% do total de unidades comercializadas pelas 966 imobiliárias consultadas pelo CreciSP. Foi pouco mais que os vendidos à vista, com 44,47%. Os donos de imóveis venderam com pagamento parcelado 8,63% das casas e apartamentos que estavam em oferta nas imobiliárias. A participação dos consórcios imobiliários foi marginal, com 0,54%.

Maioria apartamentos até R$ 300 mil

Os imóveis mais vendidos em abril, com 51,21% do total, foram os de preço final até R$ 300 mil, e maioria eram apartamentos – 63,61% do total. As casas somaram 36,39%.

Desconto médio de 10%

Segundo a pesquisa CreciSP apurou com as imobiliárias, os descontos médios concedidos sobre os preços anunciados foram de 10,01% para os imóveis situados em bairros de áreas nobres das cidades, de 9,81% para os de bairros centrais e de 9,05% para os de bairros de periferia.

Os descontos ~sao de 10,01% para os imóveis situados em bairros de áreas nobres das cidades e de 9,05% para os de bairros de periferia

Na média geral dos preços computados pelas imobiliárias consultadas pelo CreciSP, quase a metade das vendas – 48,37% do total – ficou concentrada nos imóveis usados com preços de até R$ 4.000,00 o metro quadrado.

ABC, Guarulhos e Osasco puxam vendas

O crescimento de 18,83% nas vendas de abril frente a março foi puxado pelo desempenho das cidades da região formada por Santo André, São Caetano, São Bernardo, Diadema, Guarulhos e Osasco. A alta foi de 108,35%, muito acima dos 20,04% registrados na Capital e dos 5,88% no Interior. No Litoral, houve queda de 1,99%.

Mais casas que apartamentos alugados

O aumento de 8,82% no número de novas locações em abril sobre março foi resultado do bom desempenho registrado nas quatro regiões que compõem a pesquisa CreciSP – Capital (+ 2,88%), Interior (+ 8,88), Litoral (+ 24,4%) e as cidades de Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Guarulhos e Osasco (+16,81%), diz o estudo.

A pesquisa de abril nas 37 cidades do Estado apontou que foram alugadas mais casas (53,32% do total) que apartamentos (46,68%) e que a maioria – 53,88% – custará aos novos inquilinos um aluguel mensal de até R$ 1.000,00.

Descontos de 10% nos aluguéis

Os descontos concedidos pelos proprietários dos imóveis sobre os aluguéis que inicialmente pediam foram em média de 10,13% para os de bairros de áreas nobres, de 10,51% para os de bairros centrais e de 10,59% para os de bairros de periferia.

Segundo a pesquisa CreciSP, 49,26% dos imóveis alugados em abril terão um fiador pessoa física como garantidor do pagamento em casa de inadimplências dos inquilinos. As outras formas de fiança adotadas foram o depósito de três meses do valor do aluguel (21,47%), o seguro de fiança (12,82%), a caução de imóveis (11,76%), a locação sem garantia (2,97%) e a cessão fiduciária (1,73%).

Aumento na inadimplência de inquilinos

A inadimplência nas imobiliárias pesquisadas ficou em 5,33% do total de contratos em vigor em abril, percentual 10,47% superior aos 4,83% que estavam inadimplentes em março.

A pesquisa Creci-SP foi realizada em 37 cidades do Estado de São Paulo. São elas: Americana, Araçatuba, Araraquara, Bauru, Campinas, Diadema, Guarulhos, Franca, Itu, Jundiaí, Marília, Osasco, Piracicaba, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Rio Claro, Santo André, Santos, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, São Carlos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo, Sorocaba, Taubaté, Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião, Bertioga, São Vicente, Peruíbe, Praia Grande, Ubatuba, Guarujá, Mongaguá e Itanhaém.

Última atualização por Bruno Andrade - 19/06/2019 - 11:27