Últimas Notícias Nova Previdência Cotações Comprar ou Vender Criptomoedas Empresas
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Preços do petróleo caem de recorde de 2019 depois de dados fracos dos EUA

Investing.com Brasil - 14/02/2019 - 16:08

Petróleo

Por Investing.com – Os preços do petróleo caíram na quinta-feira após um fraco desempenho nos dados econômicos dos EUA que ofuscaram o crescente otimismo em uma resolução para o conflito comercial EUA-China.

Os preços caíram quase um dólar por barril depois que as vendas no varejo e inflação dos preços ao produtor saíram mais fracas do que o esperado – acentuadamente, no caso das vendas no varejo. Os pedidos iniciais de seguro desemprego também foram maiores que o esperado na semana passada.

3 gastos idiotas feitos por millennials, segundo um Shark Tank

Os contratos futuros do petróleo West Texas Intermediate (WTI) atingiram um novo recorde para o ano de US$ 54,69 por barril antes dos dados, mas às 11h10 eles haviam se afundado drasticamente e estavam a US$ 53,62 o barril, recuo de 0,5% no dia.

Os contratos futuros do petróleo Brent, referência internacional, seguiu um caminho semelhante, chegando em US$ 64,81 o barril antes de cair para US$ 63,91 após os dados.

Os preços haviam subido no início do dia em um relatório da Bloomberg que dizia que o presidente Donald Trump está considerando uma prorrogação de 60 dias do prazo de 1º de março, quando os EUA as tarifas sobre importações chinesas no valor de US$ 200 bilhões deverão aumentar de 10% para 25%.

Uma delegação comercial liderada pelo secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, e pelo secretário de Comércio Robert Lighthizer iniciaram conversações de alto nívelcom os chineses, liderados pelo vice-primeiro-ministro Liu He, em Pequim, na quinta-feira.

As negociações, programadas para sexta-feira, seguem três dias de reuniões de vice-diretoria para elaborar detalhes técnicos, incluindo um mecanismo para impor qualquer acordo comercial.

Os preços do petróleo encontraram ainda mais apoio, em meio a sinais de aumento da demanda da China.

As importações de petróleo da China em janeiro subiram 4,8% em relação ao ano anterior, para uma média de 10,03 milhões de barris por dia (bpd), o terceiro mês consecutivo em que as importações ultrapassaram a marca de 10 milhões de bpd.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Os EUA e a China são as maiores nações consumidoras de petróleo do mundo. Os economistas estão preocupados com o fato de que a atual disputa comercial entre as duas maiores economias do mundo vá arrastar o crescimento global e, por extensão, corroer a demanda por energia.

Depois de encerrar 2018 em queda livre, os preços do petróleo subiram cerca de 19,5% para começar o ano, impulsionados pelos esforços dos produtores globais para cortar a oferta.

Em dezembro, a OPEP e um grupo de 10 produtores fora do cartel, liderados pela Rússia, concordaram em cortar coletivamente a produção em um total de 1,2 milhão de bpd durante os primeiros seis meses de 2019.

Em outras negociações de energia, contratos futuros de gasolina subiam 1,6%, para US$ 1,489 o galão, ao passo que o óleo de aquecimento tinha alta de 0,9%, para US$ 1,95 por galão.

Contratos futuros de gás natural avançavam 1%, para US$ 2,602 por milhão de unidades térmicas britânicas, já que investidores aguardavam os dados semanais dos estoques, previstos ainda para este dia e com expectativas de redução de 79 bilhões de pés cúbicos.

Receba dicas EXCLUSIVAS de investimento em seu e-mail – Não é propaganda