Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

PNAD: Desemprego cai para 12% no segundo trimestre, com recorde de autônomos

Arena do Pavini - 31/07/2019 - 9:41
Queda do desemprego foi de 0,4 ponto, informou o IBGE (Imagem: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

Por Arena do Pavini

No trimestre encerrado em maio de 2019, a taxa de desocupação recuou 0,7 pontos percentuais (p.p.), para 12,0%, em relação ao trimestre de janeiro a março de 2019, quando foi de 12,7%. Sobre o mesmo trimestre do ano passado, quando a taxa era de 12,4%, a queda foi de 0,4 ponto, informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A população desocupada era de 12,8 milhões de pessoas e recuou -4,6%, ou menos 621 mil pessoas em busca de trabalho frente ao trimestre anterior e ficou estatisticamente estável em relação a igual período de 2018.

A população ocupada era de 93,3 milhões de pessoas e cresceu em ambas as comparações: 1,6% (mais 1.479 mil pessoas) em relação ao trimestre anterior e 2,6% (mais 2.401 mil pessoas) na comparação como o mesmo período de 2018.

A população fora da força de trabalho (64,8 milhões de pessoas) recuou em ambas as comparações: -0,8%, ou menos 494 mil pessoas frente ao trimestre anterior e -1,0%, ou menos 621 mil pessoas frente ao mesmo trimestre do ano anterior.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

A taxa composta de subutilização da força de trabalho (24,8%) não teve variação estatisticamente significativa tanto em relação ao trimestre anterior (25,0%) quanto ao mesmo trimestre móvel de 2018 (24,5%).

A população subutilizada (28,4 milhões) não teve variação significativa frente ao trimestre anterior e subiu 3,4% (mais 923 mil pessoas) frente ao mesmo tri de 2018.

4,9 milhões desistiram de procurar emprego

O número de pessoas desalentadas (4,9 milhões) não mostrou variação significativa em ambas as comparações. O percentual de pessoas desalentadas em relação à população na força de trabalho ou desalentada foi de 4,4%, repetindo o recorde da série e mantendo estabilidade em ambas as comparações.

Crescem trabalhadores com carteira assinada

O número de empregados no setor privado com carteira assinada (exclusive trabalhadores domésticos) foi de 33,2 milhões de pessoas, subindo em ambas as comparações: 0,9% (mais 294 mil pessoas) frente ao trimestre anterior e 1,4% (mais 450 mil pessoas) frente ao mesmo período de 2018. Mas o número de empregados sem carteira assinada (11,5 milhões de pessoas) também subiu em ambas as comparações: 3,4% (mais 376 mil pessoas) frente ao trimestre anterior e 5,2% (mais 565 mil pessoas) em relação ao mesmo trimestre de 2018.

Trabalho por conta própria bate recorde

O número de trabalhadores por conta própria (24,1 milhões) bateu novo recorde da série histórica e subiu nas duas comparações: 1,6% (mais 391 mil pessoas) frente ao trimestre anterior e 5,0% (mais 1.156 mil pessoas) frente ao mesmo período de 2018.

Rendimento real cai

O rendimento médio real habitual (R$ 2.290) caiu 1,3% frente ao trimestre anterior e não teve variação significativa frente ao mesmo trimestre de 2018. Já a massa de rendimento real habitual (R$ 208,4 bilhões) ficou estável em relação ao trimestre anterior e cresceu 2,4% (mais R$ 4,8 bilhões) frente ao mesmo período de 2018.

Última atualização por Rafael Borges - 31/07/2019 - 9:46