Últimas Notícias Tesouro Direto Nova Previdência Cotações Comprar ou Vender Cripto
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Petróleo sobe e ganha 5% na semana; Petrobras opera em baixa seguindo Ibovespa

Investing.com Brasil - 15/02/2019 - 17:35

Petróleo

Por Investing.com – As notícias fluem para contribuir com a alta do petróleo. As negociações comerciais em Pequim, a paralisação do maior campo de petróleo da Arábia Saudita e a aparente decisão da trading de commodities Trafigura de interromper o comércio do petróleo venezuelano estão se combinando para criar o maior ganho semanal de petróleo este ano.

BB, Itaú, Santander ou Bradesco: Qual se deu melhor em 2018?

Qual é a melhor ação para “passar de ano”? 

Continua depois da publicidade

O petróleo West Texas Intermediate negociado em Nova York e o petróleo Brent de Londres subiram pelo quarto dia consecutivo na sexta-feira, subindo 5% na semana para recuperar todas as perdas da semana anterior, que, aliás, foi a pior semana para o óleo em 2019.

WTI subiu 89 centavos, ou 1,64%, a US$ 55,30 por barril às 16:57 (horário de Brasília). O Brent, referência global do petróleo, subiu US$ 1,45, ou 2,25%, a US$ 66,02 por barril, rompendo a barreira dos US$ 65. Na semana, o WTI subiu 4,97%, enquanto o Brent se valorizou 6,36%. No acumulado do ano, ambos têm alta de 22%.

A alta internacional do petróleo não reflete no preço das ações da Petrobras (PETR4) no Ibovespa. A PETR4 opera em queda de 0,33% a R$ 26,86, enquanto a (PETR3) perdia 1,15% a R$ 30,98. Na semana a Petrobras segue o movimento de alta do petróleo. A PETR4 acumulou alta de 6,88% e a PETR3 subiu 5,81%.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Os comerciantes agora aguardam a contagem da plataforma de petróleo de Baker Hughes às 20 horas para determinar se as notícias otimistas continuam. A contagem de sondas subiu 7 unidades na semana passada, após a queda de 15 na semana anterior, que levou a leitura a uma baixa de nove meses de 847.

Os ganhos em petróleo se aceleraram com relatos de que as negociações entre as maiores economias do mundo continuarão na próxima semana em Washington, com os dois lados citando um bom progresso nas negociações desta semana em Pequim. O mercado está em alta desde a informação da Bloomberg de que o presidente Donald Trump está considerando uma prorrogação de 60 dias para o prazo de 1o de março. Trump exige que a China chegue a um acordo comercial com os EUA ou se arrisque a sofrer tarifas mais altas das importações americanas de US$ 200 bilhões de produtos chineses.

Os preços do Brent particularmente impulsionaram os relatos de que a Saudi Aramco fechou parte de seu campo petrolífero Safaniyah, que produz mais de 1 milhão de barris por dia depois que um cabo de força principal foi cortado pela âncora de um navio. O prêmio do Brent em relação ao WTI está em pouco mais de US$ 10, o maior desde 2017.

Fora de Genebra, a Reuters informou que a empresa global de commodities Trafigura decidiu parar de negociar petróleo com a Venezuela devido às sanções dos EUA ao setor energético da OPEP.

A decisão será um golpe duro para o governo de Nicolás Maduro, que vem tentando manter sua posição sobre Caracas e sua estatal petrolífera PDVSA, apesar de os EUA e da ampla oposição global ao seu governo. A Trafigura, com sede na Suíça, tinha um acordo de longa data com a PDVSA para comprar o petróleo venezuelano e, em troca, fornecer produtos refinados ao país latino-americano.

Leia mais sobre: Mercados, Petrobras, Petróleo
Money Times no Messenger!
Notícias selecionadas para você