Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Petróleo sobe 2% com expectativa de mais cortes da Opep e queda dos juros nos EUA

Investing.com Brasil - 07/06/2019 - 17:13
Petróleo
(Imagem: Pixabay)

Por Investing.com

O mantra dos cortes está de volta. Aproveitando a especulação de que as próximas tarifas dos EUA sobre o México podem não ser tão ruins, a Arábia Saudita produziu mais 2% de recuperação do preço do petróleo na sexta-feira ao falar dos planos da Opep de estender os cortes de produção até o final do ano.

A especulação de outro tipo de corte também impulsionou o petróleo: expectativas de que o Federal Reserve reduza as taxas de juros para manter a economia norte-americana avançando, depois que dados divulgados na sexta-feira mostraram criação de vagas de trabalho menores que o esperado nos EUA, assim como a inflação salarial em maio ficou abaixo da expectativa.

WTI subiu US$ 1,60, ou 3,02% a US$ 53,75 por barril às 16:40, ampliando o salto surpresa de 1,7% no fim da sessão de quinta-feira. O Brent, a referência global do petróleo negociada no Reino Unido, subiu US$ 1,74, ou 2,82%, para US $ 63,41 o barril. Brent também ganhou 1,7% na sessão anterior.

Os principais índices de ações de Wal Street subiram mais de 1% cada depois que um relatório do Departamento do Trabalho mostrou empregos não agrícolas em maio, muito menores do que as 185.000 adições esperadas de acordo com as previsões compiladas pela Investing.com.

Isso sugeriu que a perda de dinamismo na atividade econômica estava se espalhando para o mercado de trabalho e poderia levar o Fed a cortar as taxas. Um corte de taxa normalmente enfraquece o dólar e aumenta a demanda por commodities, como o petróleo, de compradores detentores de outras moedas.

Chegou a nova newsletter Comprar ou Vender

As melhores dicas de investimentos, todos os dias, em seu e-mail!

Foi uma semana volátil para o petróleo, com o WTI a terminar a semana em alta de 1,16%, enquanto o Brent subiu 1,72%.

O WTI caiu para US$ 50,62 na quarta-feira, enquanto seu par britânico bateu recuo de cinco meses de US$ 59,45 sobre preocupações com uma recessão global das guerras comerciais da administração Trump com a China e o México.

Mas uma manchete da Bloomberg na quinta-feira afirma que os EUA estão considerando adiar a primeira tarifa de 5% sobre as importações mexicanas que seriam válidas a partir de segunda-feira, que provocou retorno nos preços do WTI e do Brent.

A secretária de imprensa da Casa Branca, Sarah Sanders, negou, no entanto, em um e-mail que as tarifas estavam sendo adiadas. Também houve notícias de última hora, na quinta-feira, que o governo Trump estava planejando declarar uma nova emergência nacional, a fim de implementar tarifas extensivas sobre o México devido ao fluxo de migrantes centro-americanos para os EUA.

No entanto, a recuperação do petróleo persistiu.

“Há boas chances, entretanto, de que esse sentimento de bem-estar não dure mais que uma semana se as estatísticas do petróleo continuarem mostrando fraqueza, independentemente do que os sauditas disserem”, disse John Kilduff, sócio-fundador do fundo de hedge de energia de Nova York, “Again Capital”.

O ministro da Energia da Arábia Saudita, Khalid al-Falih, disse na sexta-feira que a OPEP está prestes a estender um pacto pela redução do fornecimento de petróleo para além de junho, embora ainda haja necessidade de mais conversas com países que não fazem parte da OPEP.

Falih, que falou em um fórum econômico em São Petersburgo, Rússia, disse que a Opep e seus aliados devem estender os cortes de produção de petróleo em torno dos níveis atuais, já que Riad não quer uma disputa por participação de mercado com os Estados Unidos ou uma repetição do colapso do preço bruto de cinco anos atrás.

O ministro da Energia saudita disse que a Arábia Saudita cortou a oferta em mais do que o requerido pelo acordo da Opep + em uma tentativa de impedir a criação de estoques. O reino estava bombeando 700.000 barris por dia abaixo de sua meta de 10,311 milhões de bpd, o que significa uma produção de cerca de 9,60 milhões de bpd.

A demanda pelo petróleo dos EUA tem sido sombria ultimamente. Os estoques de petróleo bruto saltaram quase 7 milhões de barris na semana passada, contra um aumento esperado de 850.000, informou a Administração de Informações sobre Energia dos EUA na quarta-feira.

Já os estoques de gasolina aumentaram em 3,21 milhões de barris na semana passada, em comparação com as expectativas de um ganho de apenas 630.000 barris, disse a EIA. Enquanto isso, os estoques de destilados aumentaram em 4,57 milhões de barris, contra uma projeção para 500.000.

Última atualização por Vitória Fernandes - 07/06/2019 - 17:13