Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Perspectivas: Os 5 principais eventos desta semana

Investing.com Brasil - 05/05/2019 - 16:42
Mercados
(Imagem: Pixabay)

Analistas do mercado estarão voltando sua atenção para a inflação e o comércio após a atualização da semana passada sobre a política monetária do Federal Reserve, enquanto os balanços devem desacelerar depois de uma semana agitada de ganhos com tecnologia na semana passada.

Onde investir: XP revela 5 ações para a semana

Aqui está o que você precisa saber para começar sua semana.

Continua depois da publicidade

1. Números da inflação dos EUA

Os investidores estarão observando atentamente os dados de inflação do produtor e do consumidor, que devem ser divulgados na quinta e na sexta-feira, depois que a reunião da Federal Reserve da semana passada mostrou o presidente Jerome Powell minimizando a recente fraqueza da inflação nos EUA como “transitória”.

Quer concorrer a R$ 300? Responda esta pesquisa sobre investimentos em 2 minutos

Powell disse que os formuladores de políticas não vêem um argumento forte para mover as taxas em qualquer direção, apesar da pressão pública do presidente Donald Trump no sentido de reduzir as taxas de juros para apoiar a economia.

A previsão consensual é de que os preços ao consumidor aumentem 0,4%mensalmente e 2,1% anualmente.

Então, Powell está certo em sua visão da inflação? Alguns indicadores recentes, desde o crescimento do primeiro trimestre até pedidos de fábrica e produtividade, têm sido bem fortes. O outro lado é que a produção está crescendo mais devagar e os estoques estão aumentando. Os relatórios ajudarão a confirmar se a inflação lenta é realmente transitória.

(Pixabay)

2. Negociações comerciais entre EUA e China

As negociações comerciais voltarão a emergir, em meio a esperanças de uma possível solução para meses de conflito entre as duas maiores economias do mundo.

O vice-primeiro-ministro da China, Liu He, deve chegar a Washington para negociações a partir de quarta-feira, após uma rodada de negociações na semana passada em Pequim que o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, chamou de “produtiva”.

Mnuchin disse que espera que até o final desta semana a equipe esteja em posição de recomendar um acordo a Trump ou dizer-lhe que não se pode chegar a um acordo.

O vice-presidente do país, Mike Pence, disse na sexta-feira que o presidente “se manterá firme” em suas exigências de mudanças estruturais nas práticas comerciais da China e na remoção das tarifas sobre produtos chineses seriam parte de um mecanismo para fazer cumprir qualquer acordo com Pequim.

3. Dados europeus para observar

Relatórios econômicos estão se tornando mais importantes do que o habitual nos dias de hoje, enquanto os mercados tentam decidir se os brotos surgindo em alguns lugares são o oportunidades de negócio real.

Os relatórios sobre a produção industrial alemã e os pedidos de fábrica nesta semana ajudarão a medir a força da maior economia da zona do euro, depois dos dados da semana passada mostrando que a economia do bloco cresceu mais do que o esperado no primeiro trimestre, recuperando-se de uma queda no segundo semestre de 2018.

No Reino Unido, uma série de dados, incluindo uma análise do primeiro trimestre, deve ser divulgada na sexta-feira após o Bank of England ter aumentado as previsões de crescimento para 2019 depois de sua reunião na semana passada, mas reduziu sua perspectiva de inflação.

As novas previsões do banco são as primeiras desde que o prazo final do Brexit foi adiado para outubro e o BoE disse que o tempo e a natureza do Brexit continuaram sendo o maior fator para as perspectivas econômicas.

(Reprodução/Internet)

4. Relatórios de ganhos

Os ganhos devem desacelerar esta semana com cerca de 60 empresas listadas no S&P 500 programadas para publicar seus relatórios trimestrais incluindo Walt Disney(NYSE:DIS), TripAdvisor Inc (NASDAQ:TRIP), AIG (NYSE:AIG) e outras.

A Lyft (NASDAQ:LYFT) deve divulgar seu primeiro relatório de resultados após o fechamento na terça-feira, com ações atualmente caindo cerca de 14% desde seu IPO no final de março. A reação do mercado ao relatório de lucros pode dar o tom para seu concorrente, o Uber (NYSE:UBER) antes do próximo IPO no final da semana.

5. Bancos centrais

Banco Central da Australia se reúne na terça-feira, seguido um dia depois pelo Banco Central da Nova Zelândia. Ambas as economias estão lidando com inflação baixa, mercados de trabalho fortes e espaço limitado para cortar as taxas de juros. Ambas as economias também têm fortes ligações com a China, onde o crescimento está desacelerando.

O aumento da taxa de câmbio do par Aussie-kiwi sugere que os investidores veem uma chance maior de corte na Nova Zelândia. Se o RBA, que manteve a política firme por 29 reuniões, cortar na terça-feira, o RBNZ teria mais motivos para fazê-lo.

– Reuters contribuiu com esta reportagem

Money Times no Messenger!
Notícias selecionadas para você