Últimas Notícias Perspectivas 2019 Cotações Comprar ou Vender Criptomoedas Empresas
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Os 5 principais eventos econômicos desta semana

Investing.com Brasil - 16/12/2018 - 11:03

Por Investing.com – Depois de mais uma semana volátil nos negócios em todo o mundo, há muita coisa para manter os investidores ansiosos na próxima semana.

Espera-se amplamente que o Federal Reserve anuncie um aumento das taxas de juros em sua declaração após a reunião na quarta-feira, mas o mais importante, é que os investidores estarão atentos a sinais do banco central americano e em seus planos para o próximo ano.

Uma onda recente dados econômicos abaixo do esperado , juntamente com as preocupações com o atual conflito comercial EUA-China, provocaram especulações de que o Fed poderá interromper seu ciclo de crescimento de taxas em 2019.

Com relação a dados, a leitura final sobre o crescimento dos EUA no primeiro trimestre será o destaque da semana. os números do crescimento devem ser divulgados esta semana. Devem ser divulgados também dados do setor imobiliário em novembro.

Com relação aos bancos centrais, os anúncios de política monetária do Banco da Inglaterra e do Banco do Japão também estarão na agenda, embora seja altamente improvável que qualquer um deles dê uma chacoalhada em termos de política monetária.

Os investidores ficarão a par das disputas comerciais entre os EUA e a China para ver se alguma outra notícia se materializa em meio a sinais recentes de que as duas maiores economias do mundo estão trabalhando para resolver suas diferenças.

Washington e Pequim estão envolvidas em uma disputa comercial na maior parte do ano, com os dois países aplicando tarifas em vários produtos mutuamente.

As tarifas levantaram preocupações no mercado sobre uma possível desaceleração no crescimento econômico global.

Antes da próxima semana, a Investing.com compilou uma lista dos cinco maiores eventos do calendário econômico com maior probabilidade de afetar os mercados.

1. Decisão do Federal Reserve sobre a taxa de juros

É quase certo que o Federal Reserve irá elevar as taxas de juros em um quarto de ponto pela quarta vez neste ano na conclusão de sua reunião de política monetária de dois dias às 17h00 de quarta-feira. Isso colocaria a taxa-alvo dos fundos federais em um intervalo entre 2,25% e 2,5%.

Jerome Powell, presidente do Federal Reserve, deverá participar de uma entrevista coletiva que será observada atentamente e, que acontecerá 30 minutos após a divulgação da declaração do Fed, já que investidores buscam novas indicações sobre sua visão quanto à economia e as tendências de inflação, e também como isso irá impactar o ritmo do endurecimento da política monetária no próximo ano.

Outra questão a ser observada será a avaliação de Powell do crescente risco externo de uma lista cada vez mais longa de fontes, incluindo uma guerra comercial global e os recentes sinais de turbulência nos mercados de ações.

O banco central norte-americano também irá divulgar novas projeções de crescimento econômico e taxas de juros, conhecidas como “dot-plot”, enquanto os investidores buscam maiores sinais da provável trajetória de alta de juros do Fed até 2019 e mais além.

Enquanto os formuladores de políticas apontaram três aumentos em 2019, o mercado está começando a apostar que o banco central pode suspender seus aumentos de taxa no ano que vem como riscos para montagem econômica americana.

2. PIB dos EUA no 3º tri – estimativa final

O Departamento de Comércio dos EUA deverá divulgar os números revistos sobre o crescimento econômico do terceiro trimestre às 11h30 (horário de Brasília) da sexta-feira.

Espera-se que os dados mostrem que a economia cresceu a uma taxa anual de {{ec-375||3,5%}} nos três meses que terminaram em 30 de setembro, inalterado de uma estimativa preliminar. Ela cresceu 4,2% no trimestre anterior.

Inflação morna, uma queda acentuada nos preços do petróleo e os efeitos cada vez menores dos cortes de impostos do presidente Donald Trump têm ressaltado as preocupações de que o crescimento econômico robusto dos EUA no ano passado pode estar chegando ao fim.

3. Dados do setor imobiliário dos EUA

O Departamento de Comércio deverá divulgar relatório sobre licenças para construção e construção de novas casas em novembro, às 11h30 da próxima terça-feira.

Espera-se que os dados mostrem que as licenças para construção tiveram aumento de 0,5%, para e totalizaram 1,270 milhão no mês passado enquanto as projeções para a construção de casas novas é de um ganho de 0,3%, totalizando 1,230 milhão.

Dados recentes têm pintado uma imagem preocupante do mercado imobiliário nos EUA, que está lutando com o aumento das taxas de hipoteca e inventário apertado.

O calendário desta semana também apresenta dados do relatório sobre renda e gastos pessoais dos EUA, que inclui números da inflação dos gastos de consumo pessoal (PCE, na sigla em inglês), a métrica preferida do Fed para a inflação.

O último relatório sobre encomendas de bens duráveis também irá capturar a atenção do mercado.

4. Anúncio de política monetária do Banco da Inglaterra

Espera-se amplamente que o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) mantenha sua política monetária inalterada e declare que deve manter os planos de aumentá-los gradualmente na sua reunião desta semana. A decisão está prevista para as 10h00.

O BoE elevou as taxas de juros duas vezes desde novembro de 2017 e espera que continue a fazê-lo gradualmente, supondo que a saída da Grã-Bretanha da União Europeia ocorra suavemente.

Além do BoE, investidores também terão acesso aos últimos dados de inflação no Reino Unido e das vendas no varejo, para obter mais indicações sobre o efeito contínuo que a decisão do Brexit está tendo sobre a economia.

As manchetes políticas também estarão em foco, à medida que os investidores observarem os acontecimentos em torno das negociações em andamento do Brexit.

Com menos de quatro meses até a Grã-Bretanha deixar a UE, o governo ainda não chegou a um acordo de separação com Bruxelas, já que o partido conservador do primeiro-ministro Theresa May permanece dividido sobre o quão perto o país deve permanecer do bloco.

5. Reunião de Política do Banco do Japão

Espera-se também que o Banco do Japão mantenha como está sua política monetária na conclusão de sua revisão de dois dias das taxas de juros na quinta-feira, incluindo uma promessa de manter taxas de juros de curto prazo em menos 0,1%, e os rendimento de títulos 10 anos do governo em torno de zero por cento.

Haruhiko Kuroda, dirigente do Banco do Japão, realizará uma entrevista coletiva na sequência para discutir a decisão.

A economia encolheu mais em quatro anos no terceiro trimestre, quando uma série de desastres naturais interrompeu a produção e a rede de distribuição das fábricas.

Os analistas esperam uma recuperação no crescimento no trimestre atual, mas os problemas comerciais globais e a desaceleração da demanda externa aumentaram os riscos para a terceira maior economia do mundo.

– Reuters contribuiu com esta reportagem

Leia mais sobre: Economia, Internacional