Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Oferta de blocos de petróleo próximos a Abrolhos está na mira da Justiça, diz ANP

Reuters - 09/10/2019 - 14:34
Nordeste Petróleo Brasil Poluição Litoral
A oferta de blocos próximos a Abrolhos ocorre em um momento em que as praias do Nordeste estão sendo atingidas há mais de um mês por um petróleo ainda de origem misteriosa (Imagem: Reuters/Diego Nigro)

A oferta de sete blocos exploratórios de petróleo próximos ao Arquipélago dos Abrolhos, em leilão previsto para quinta-feira, está mantida, mas sob o crivo do poder judiciário, informou a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) nesta quarta-feira em seu site.

O anúncio foi feito após determinação da Justiça Federal na Bahia, que determinou ser necessário que a ANP informasse ao público a existência de ação movida pelo Ministério Público, que pede a exclusão das áreas localizadas nas bacias de Camamu-Almada e Jacuípe previstas para o certame.

Além das duas bacias, a licitação prevê a oferta de blocos nas bacias de Pernambuco-Paraíba, Campos e Santos. No total, está prevista a oferta de 36 blocos sob regime de concessão, fora da região delimitada do pré-sal.

Segundo a ANP, o bloco do certame mais próximo a Abrolhos fica a 300 quilômetros de distância.

A oferta de blocos próximos a Abrolhos ocorre em um momento em que as praias do Nordeste estão sendo atingidas há mais de um mês por um petróleo ainda de origem misteriosa.

Segundo o porta-voz do Greenpeace para assuntos de clima e energia, Thiago Almeida, o Brasil tem mostrado despreparo para lidar com os danos causados pelo petróleo no litoral nordestino.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

O Ibama, a Marinha e a Petrobras (PETR4)têm trabalhado para reduzir os impactos causados pelo petróleo e na remoção da substância do mar.

O petróleo que tem atingido as praias muito provavelmente é de origem venezuelana, disse nesta quarta-feira o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

Última atualização por Bruno Andrade - 09/10/2019 - 14:34