Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Não compre carros, compre ações das locadoras de veículos

25/09/2019 - 22:55
Movida
A ação da Movida é uma das ações indicadas para compra pelo BTG Pactual (Imagem: Facebook da Movida)

O setor de aluguel de carros no Brasil é pujante e com um crescimento descolado da lentidão econômica, avaliam analistas do mercado financeiro. De maneira geral, a percepção é positiva para as três empresas que lideram o segmento: Localiza (RENT3), Unidas (LCAM3) e Movida (MOVI3).

“As taxas de crescimento permanecem muito fortes, dissociadas da atividade econômica lenta do Brasil, e os spreads de capital de retorno continuam a se expandir, impulsionados pela alavancagem operacional, preços saudáveis e taxas mais baixas”, apontam os analistas Renato Mimica e Lucas Marquiori do BTG Pactual em um relatório enviado a clientes nesta quarta-feira (25).

Eles reforçam a recomendação de compra das ações do trio e também afastam os riscos de uma concorrência mais elevada por parte das montadoras.

Toyota
O usuário pode pedir os veículos da Toyota por um aplicativo que já está disponível para download (Imagem: Aplicativo)

A Toyota, por exemplo, anunciou recentemente o início dos seus serviços de aluguel de carros no Brasil, com preços diários de R$ 149 para o Etios e de R$ 699 para o Lexus. O usuário pode pedir os veículos por um aplicativo que já está disponível para download.

“As montadoras já ofereceram os serviços em outros países (principalmente na Europa), e outras fizeram o mesmo no Brasil no passado, mas sem sucesso”, apontam Mimica e Marquiori. Eles explicam que este movimento não preocupa, já que é difícil replicar as vantagens competitivas que as grandes do setor possuem ao ter uma escala maior.

“O crescimento do segmento de aluguel de carros daqui para frente provavelmente será acompanhado pela expansão da margem, finalmente evidenciando a alta alavancagem operacional do segmento”, avalia a analista do Itaú BBA, Renata Faber.

Localiza 2
O preço-alvo para as ações foi elevado de R$ 47 para R$ 58. A recomendação é de compra (Imagem: Money Times)

Para a Localiza, ela aponta que, no negócio de gestão de frotas, a empresa intensificou os investimentos para aprimorar processos e apoiar seus planos de expansão, o que deve afetar as margens – embora as oportunidades de crescimento permaneçam sólidas.

O preço-alvo para as ações foi elevado de R$ 47 para R$ 58. A recomendação é de compra. O potencial de valorização chega a 30%.

Já a Unidas tem melhorado o desempenho do segmento de aluguel de carros, com a expectativa de uma expansão mais forte das diárias de aluguel, acompanhada pela melhoria da margem Ebitda.

O preço-alvo para a empresa foi revisado de R$ 48 para R$ 64 (Imagem: Site da empresa)

“O crescimento projetado para os negócios de aluguel gerará mais carros usados a serem vendidos, e vendê-los de forma rápida e lucrativa será o principal desafio da empresa agora”, avalia. Faber projeta um maior endividamento, o que pode resultar em um aumento de capital.

De qualquer forma, o preço-alvo para a empresa foi revisado de R$ 48 para R$ 64. O potencial de valorização estimado é de 27,4%.

Chegou a nova newsletter Comprar ou Vender

As melhores dicas de investimentos, todos os dias, em seu e-mail!

Última atualização por Gustavo Kahil - 25/09/2019 - 22:58