Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Muito antes de Stuhlberger: A guru da Bolsa brasileira era uma mulher

Gustavo Kahil - 08/03/2019 - 10:20
Eufrasia Teixeira Leite, uma brasileira nascida no meio do século XIX, no interior do Brasil, que investiu em ações e desbravou os cinco continentes

Se há um guru na bolsa brasileira ele é Luis Stuhlberger.  O gestor de estratégia do Fundo Verde, além de apresentar retornos consistentes no longo prazo, tem os seus comentários acompanhados de perto pelo público investidor. Muitos anos antes, na verdade há quase um século, uma mulher já construía uma fortuna na Bolsa de Valores no Brasil.

Foi Eufrasia Teixeira Leite, uma brasileira nascida no meio do século XIX, no interior do Brasil, que investiu em ações e desbravou os cinco continentes, em mais de 9 moedas diferentes, e construiu um patrimônio gigantesco.

Esta história é contada no e-book “#QUEROSEREUFRASIA”, da escritora Mariana Ribeiro, que foi lançado ontem. A autora é analista financeira e pesquisadora, e passou os últimos 8 anos desvendando os segredos e legado da primeira brasileira a investir na bolsa de valores.

A investidora atuou em áreas como mobilidade urbana, alfabetização feminina, defesa dos animais, gestão e sustentabilidade e apoiou os sobreviventes da 1° Guerra. Morreu sem deixar herdeiros e doou seu patrimônio para a construção de hospital e escolas que hoje são essenciais no atendimento da comunidade de sua terra natal, Vassouras- RJ.

“Eufrasia Teixeira Leite, em pelo século XIX, rompeu barreiras inimagináveis para uma mulher. Quando o único papel possível era servir aos homens, Eufrasia serviu a si mesma. Este é um trabalho independente, de três mulheres apaixonadas por investimentos e que lutam para transformar o mercado financeiro em um ambiente mais amigável para o público feminino”, analisa Elaine Fantini, jornalista responsável pelo blog Femme Economicus e colunista do Money Times. Elaine, Mariana e Itali Collini fazem parte do movimento Financial Feminism Brasil, que tirou o projeto do papel para se tornar realidade.

Leia também:

– 8 empreendedoras que estão transformando o Brasil

– Sub-representação das mulheres é a regra no mercado financeiro

Última atualização por Gustavo Kahil - 08/03/2019 - 10:27