Últimas Notícias Cotações Governo Bolsonaro Comprar ou Vender Empresas Economia
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Mercado está ficando exageradamente pessimista, diz Verde Asset

Gustavo Kahil - 07/12/2018 - 14:31

A carta de dezembro da Verde Asset, do aclamado gestor Luis Stuhlberger, pontua que o “mercado está ficando exageradamente pessimista” e reduzindo suas estimativas de crescimento global para o ano que vem, embora em determinados ativos “esse processo já pareça ter exagerado”, destaca o documento divulgado nesta sexta-feira (7).

“A economia americana naturalmente vai se acomodar do ritmo deste ano, dada a ausência de novos estímulos fiscais após o corte de impostos. O crescimento chinês também inspira alguma preocupação, dada a desaceleração já contratada deste ano, o impacto das novas tarifas comerciais, e os tímidos estímulos do governo até aqui”, pontua o documento.

A equipe de gestão destaca que a combinação das duas grandes alavancas globais de crescimento em desaceleração tem levado a um certo ceticismo acerca das perspectivas para 2019. “Somado ao preço de petróleo em queda forte, temos como consequência uma queda das taxas de juro globais particularmente nos Estados Unidos, onde as curvas embutiam uma série de altas adicionais pelo Federal Reserve”, pontua o Verde.

Este cenário de política monetária menos restritiva é uma força construtiva, mas desaceleração de crescimento atrapalha. “Qual dessas variáveis vai dominar é uma questão em aberto. Em linhas gerais acreditamos que o mercado está ficando exageradamente pessimista, mas há enormes incertezas, especialmente políticas, no horizonte”, ressalta o relatório.

Brasil

O Verde entende que os sinais emitidos até aqui na formação da equipe do novo governo se mostram positivos. . “Mantemos nossa visão de que a melhora do crescimento econômico, cujos sinais continuam a se acumular, será a variável mais relevante para precificação dos ativos no Brasil ao longo dos próximos seis a doze meses”, ressalta..

O fundo continuou aumentando sua exposição à bolsa brasileira ao longo do mês, e reduziu marginalmente as posições em juro real na parte intermediária da curva, dada a perspectiva de inflação muito baixa nos próximos meses. Além disso mantém pequenas posições tomadas em juros americanos.