Últimas Notícias Tesouro Direto Nova Previdência Cotações Comprar ou Vender Cripto
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

M. Dias Branco tem queda de mais de 7% após lucro 60% menor

Investing.com Brasil - 13/05/2019 - 17:49
A retração dos volumes de produtos como biscoitos, e alta de 36,9% do custo do trigo foram os principais fatores para a retração do lucro (Imagem: pixabay)

Por Investing.com 

As ações da M. Dias Branco (MDIA3) fecharam com forte queda de 7,64% a R$ 38,70 no fim da tarde desta segunda-feira (13), com o mercado reagindo negativamente ao balanço divulgado pela companhia na noite de sexta-feira.

A empresa encerrou o os três primeiros meses do ano com queda de 59,3% no lucro líquido na comparação com igual período de 2018, indo de R$ 139,7 milhões para R$ 56,9 milhões. A retração dos volumes de produtos como biscoitos, e alta de 36,9% do custo do trigo foram os principais fatores para a retração do lucro,.

Continua depois da publicidade

Quer concorrer a R$ 300? Responda esta pesquisa sobre investimentos em 2 minutos

Por outo lado, a receita líquida subiu 8,2%, indo de R$ 1,2 bilhão para R$ 1,3 bilhão em um ano.

Exclusivo: O segredo para ganhar com Petrobras em qualquer cenário

Dessa forma, o Ebitda atingiu R$ 112,1 milhões, o que corresponde a uma queda de 38,9% em relação aos R$ 183,5 milhões do primeiro trimestre de 2018. A margem Ebitda recupu 6,6 pontos percentuais e ficou em 8,5%.

Exclusivo! Cadastre-se para receber um dia antes a Carteira Money Times - O Consenso do Mercado

A Coinvalores destaca que o crescimento da receita se deu por conta da melhora na divisão de massas e elevação nos preços de todos os produtos, sendo compensado pela retração de 7,3% no volume de vendas total. Já o EBITDA e o lucro líquido apresentaram redução devido ao resultado aquém das expectativas na linha de biscoitos, afetado por elevados níveis de estoques de seus clientes na primeira metade do 1T19 e pela alta do custo do trigo em reais.

Para os analistas a queda do lucro líquido deu-se também pela consolidação das despesas com depreciação e amortização da Piraquê e pelo menor resultado financeiro no 1T19 versus 1T18. Já do lado positivo a companhia apresentou crescimento de participação de mercado em suas duas divisões mais relevantes, a de biscoitos cresceu 3,8 p.p. e a de massas aumentou em 4,8 p.p. neste 1T19 ante o 1T18.

Money Times no Messenger!
Notícias selecionadas para você