Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Irã adverte EUA contra apreender navio indo para a Grécia

Bloomberg - 19/08/2019 - 10:08
Petroleiro Irã
Setor petrolífero sob ameças com escalada de tensão entre EUA e Irã (Imagem: Marcelo del Pozo/Bloomberg)

O Irã alertou os EUA contra a apreensão de um supertanque carregando o petróleo do país do Oriente Médio, deixando o destino da embarcação incerto quando navegou para o leste até o Mar Mediterrâneo, vindo de Gibraltar, onde foi detido desde o mês passado.

O petroleiro, antigamente chamado de Grace 1 e agora conhecido como Adrian Darya 1, estava sinalizando – pelo menos por enquanto – Kalamata, na Grécia, com data de 25 de agosto, dados de rastreamento de petroleiros compilados pela Bloomberg aos 11: 30 horas, horário de Londres.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Deixou Gibraltar domingo à noite depois de ser detido lá desde o início de julho, quando as forças britânicas o apreenderam por suspeita de transportar petróleo para a Síria, violando as sanções europeias. Os EUA, que têm sanções contra o Irã, estão tentando impedir que qualquer um faça negócios com o navio.

“Os EUA certamente não podem aproveitar o petroleiro iraniano e, se isso acontecer, isso representaria uma ameaça à segurança marítima internacional”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã, Abbas Mousavi. 

O Irã alertou os EUA por meio de “canais diplomáticos”, incluindo a Suíça, contra a interferência no petroleiro, em águas internacionais, disse Mousavi em entrevista coletiva em Teerã. Diplomatas suíços servem como interlocutores entre os EUA e o Irã.

O incidente é um dos vários nos últimos meses que têm estreitado as relações entre o Irã e o Ocidente, após a reintegração de sanções pelos EUA no estado do Golfo Pérsico no ano passado. O Irã afirmou que a detenção original do navio em 4 de julho era ilegal. 

O estado do Golfo Pérsico continua a deter um navio-tanque do Reino Unido, o Stena Impero. A agressão na região ameaçou a navegação nos últimos meses no Estreito de Hormuz, a hidrovia mais importante do mundo para o fornecimento de petróleo.

Destino não claro

Não se sabe onde o navio iraniano está finalmente indo. O porto de Kalamata não pode receber navios do tamanho do superpovoeiro e nenhuma instalação de reabastecimento está disponível, disse Nikolaos Giannoulatos, um oficial do porto, por telefone. Além disso, o porto não foi informado da intenção do navio de chegar lá, disse ele.

As autoridades gregas também não receberam notificação formal de que a embarcação pretende ir a um porto no país, segundo um porta-voz da guarda costeira da Grécia. 

O porto de Kalamata costuma servir embarcações de recreio como veleiros e navios de cruzeiro, segundo dados compilados pela Bloomberg.

As águas próximas a Kalamata poderiam ser um possível local para transferências de carga de navio para navio, de acordo com dois corretores de navios sem informações específicas sobre os planos do navio-tanque. 

O destino de um navio é inserido manualmente no seu Sistema de Identificação Automática e é recolhido pelo rastreamento da embarcação. Os destinos podem ser alterados várias vezes na mesma jornada.

Reclamação dos EUA

Gibraltar rejeitou uma tentativa dos EUA de bloquear o superpetroleiro iraniano no domingo, dizendo que os regulamentos da UE não permitem que ele busque uma ordem judicial para deter o navio.

Uma queixa não revelada em Washington afirmou que “Petroleiro” Graça 1, “todo o petróleo a bordo e US $ 995.000 estão sujeitos a confisco”, segundo uma declaração do Departamento de Justiça. 

A declaração alega um “esquema para acessar ilegalmente o sistema financeiro dos EUA para apoiar remessas ilícitas” de petróleo do Irã para a Síria, em violação das sanções dos EUA, lavagem de dinheiro e estatutos do terrorismo.

Na semana passada, Gibraltar liberou a embarcação, depois que o governo disse que o Irã havia dado garantias de que o navio não iria para um destino sancionado pela UE. 

Em resposta, os EUA disseram que estavam seriamente desapontados com a Grã-Bretanha e alertaram que portos, bancos e qualquer outra pessoa que faça negócios com a embarcação ou sua tripulação podem estar sujeitos a sanções, de acordo com dois funcionários do governo.

Última atualização por Lucas Simões - 19/08/2019 - 10:08