Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

IPOs de fundos imobiliários: veja as operações mais quentes do mercado

05/12/2019 - 22:15
Ofertas iniciais de fundos imobiliários atraem olhar do investidor (Imagem: Gustavo Kahil/Money Times)

Os fundos imobiliários vem ganhando notoriedade ao longo deste ano, com a junção entre juro baixo e melhora da atividade econômica como propulsora à maior demanda por este tipo de ativo.

Existem diversas métricas utilizadas na análise de fundos imobiliários para verificação de quais são os melhores investimentos atuais, como taxa de vacância, relação entre P/VPA (Preço sobre Valor Patrimonial), tipo de fundo e segmento de atuação, ABL (Área Bruta Locável), gestores e administradores, e projeção de pagamento de dividendos.

Dentro deste cenário, o Money Times realizou levantamento com os principais IPOs (Oferta Pública Inicial) dos fundos imobiliários em andamento na B3.

Santander Renda de Alugueis

O Santander realizará IPO do fundo imobiliário Santander Renda de Alugueis, que será negociado com o código SARE11. O banco pretende distribuir até R$ 300 milhões no mercado e a quantidade mínima a ser ofertada é de R$ 120 milhões.

O investidor que desejar participar da emissão deverá subscrever a quantidade mínima de 200 cotas no valor unitário de R$ 100,00 – no total de R$ 20.000. Cabe destacar que serão acrescidos R$ 0,40 por ativo pela taxa de distribuição primária.

Banco espanhol atuará na gestão e administração do fundo (Imagem: Santander/EFE/Marcelo Machado de Melo)

O período de reserva começou no dia 21 de novembro e se encerrará no próximo dia 17 de dezembro deste ano.

O objetivo do fundo é proporcionar aos cotistas TIR (Taxa Interna de Retorno) de 10,48% ao ano e dividendo médio anual de 7,39% no primeiro decênio.

O fundo imobiliário tem natureza híbrida, ou seja, poderá investir tanto em imóveis físicos quanto em outros ativos do setor imobiliário, como LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e CRI (Certificado de Recebível Imobiliário).

Tanto a administração quanto a gestão do fundo imobiliário será realizada pelo próprio Santander.

RB Capital I

O fundo imobiliário RB Capital I será um fundo de “papel”, ou seja, com foco na negociação de cotas de outros fundos, explorando oportunidades de investimento.

O BB Investimentos será coordenador líder da operação deste fundo, com administração da BRL Trust e gestão da RB Capital.

Instituição tem até 4 de março de 2020 para finalizar processo (Imagem: Money Times)

A asset management procurará levantar R$ 200 milhões na oferta, com valor mínimo de R$ 50 milhões.

O período de reserva ainda não foi definido, por ser uma operação ainda preliminar.

O protocolo junto à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) foi realizado em 4 de setembro deste ano e a instituição deverá colocar as cotas no mercado até seis meses depois do pedido. O prazo se encerra em 4 de março de 2020.

Housi

O fundo imobiliário Housi é do tipo híbrido e será negociado no código HOSI11. A gestão é ativa, logo o gestor poderá comprar e vender tanto imóveis quanto cotas de outros fundos indiscriminadamente.

O coordenador líder será a Easyinvest, com contribuição do BTG Pactual. A Vórtx acumulará as funções de administração e gestão dos fundos.

A instituição pretende ofertar R$ 350 milhões, com montante mínimo de R$ 150 milhões e com cotas unitárias de R$ 100,00.

São Paulo Imóveis
Foco do fundo é aquisições na Faria Lima e Bela Cintra (Imagem: Pixabay)

O objetivo do fundo com a oferta é adquirir imóveis na região da Faria Lima e da Bela Cintra, ambos em São Paulo.

O início do período de reserva começou em 14 de novembro deste ano e se encerrará no próximo dia 16.

RB Capital Desenvolvimento Residencial

A oferta pretende levantar R$ 140 milhões, com coordenação do BB Investimentos, que será líder da operação.

RB Investimentos também atuará como coordenadora. O montante mínimo a ser ofertado é de R$ 50 milhões.

A administração será da Oliveira Trust e a gestão ficará por conta da RB Capital. O valor unitário da cota é de R$ 100,00.

O período de reserva ainda não foi definido.

XP Selection

O fundo imobiliário XP Selection será do tipo “papel” e terá como administradora a Vórtx.

A gestão e a liderança da coordenação da oferta ficará a cargo da XP Investimentos.O início do período de reserva ocorrerá em 26 de dezembro deste ano e se encerrará em 24 de janeiro de 2020. O código a ser utilizado na bolsa será XPSF11.

XP Investimentos
Período de reserva se encerrará em 24 de janeiro de 2020 (Imagem: Renan Dantas/ Money Times)

A instituição procurará ofertar R$ 150 milhões na operação e a aplicação mínima inicial será de R$ 25.000 – equivalentes a 250 cotas de R$ 100,00 cada. O XP Selection terá gestão ativa.

VBI Reits

O VBI Reits será um fundo de “papel” e, através da oferta pública inicial, procurará-se levantar R$ 120 milhões.

A XP Investimentos será a coordenadora líder do processo, com gestão da VBI Real Estate e administração da BRL Trust.

O período de reserva terá início em 17 de janeiro de 2020 e se encerrará em 14 de fevereiro de 2020.

O investimento mínimo é de R$ 25.000 – correspondentes a 250 cotas de R$ 100,00.

Última atualização por Valter Outeiro da Silveira - 05/12/2019 - 22:26