Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Interações automatizadas crescem e vão a 12,9% no debate eleitoral

Diana Cheng - 21/09/2018 - 16:51
Marcelo Camargo/Agência Brasil/Agência Brasil

As interações motivadas por robôs sobre as eleições chegam a 12,9%, de acordo com a Diretoria de Análise de Políticas Públicas da FGV (FGV DAPP). O percentual aumentou desde a semana passada, quando correspondia a 10,8%.

Com a aproximação do primeiro turno e a pressão do “voto útil” para garantir mais influência e seguidores nas redes sociais, a mobilização feminina contra o candidato à presidência pelo PSL Jair Bolsonaro, iniciado no dia 15 de setembro, teve papel decisivo no aumento do percentual de interações de robôs.

A influência das discussões desenvolvidas pela mobilização conseguiu atingir todas as bases de apoio, centralizando o cenário político no Twitter. Foram coletados 7.465.611 tuítes e 5.285.575 retuítes a respeito dos candidatos dentre os dias 12 e 18 de setembro. A FGV DAPP detectou 3.198 contas automatizadas, gerando o total de 681.980 interações.

Ainda assim, os últimos números representam uma queda de 25% no total de publicações em relação à última pesquisa, referente ao episódio do ataque contra Bolsonaro, no dia 6 de setembro.

As bases opostas favoráveis a Bolsonaro e favoráveis a Fernando Haddad lideram no quesito interferência motivada por robôs com, respectivamente, 17,8% e 13,2%. A base de Ciro Gomes, incorporado ao campo de apoio do majoritário grupo rosa (contra Bolsonaro), gerou 2,7% de publicações de contas automatizadas, enquanto que a de Marina Silva alcançou 7,2%. No grupo que reúne os demais candidatos à direita, 4,6% dos retuítes vieram de robôs.

Grupo rosa

Liderando em percentual de perfis, com 47,4%, o grupo rosa é caracterizado pela rejeição a Bolsonaro, sem apoio específico a outro candidato. Ao levantar a #elenão, acabou por fortalecer a unificação de diferentes posições políticas, tendo a base de Ciro se incorporado recentemente a essa categoria. Apesar de majoritário, o grupo sofreu queda de 17 pontos percentuais no volume de perfis e 16 pontos no total de interações quando comparado ao DAPP Report anterior.

Grupo verde

A candidata Marina Silva não tinha uma base específica de apoio no Twitter até nesta semana. Os perfis pró-Marina criaram a #elasim e construíram um núcleo organizado com base nos retuítes da conta @MarinaSilva. O engajamento levou à presença de 3,8% de perfis 2,3% de interações.

Grupo azul

Alinhado a Bolsonaro, cresceu no campo de interações e número de contas – 17,1%, 4 pontos percentuais do que na pesquisa anterior. Os retuítes compõem 47,2%, aumento de cerca de 7 pontos percentuais. O crescente engajamento no Twitter, em boa parte envolvendo o perfil oficial de Bolsonaro, parte de discussões sobre o voto útil, além da mobilização de mulheres nas redes sociais levantando a #elenão com a finalidade de defender o candidato do PSL.

Grupo vermelho

A base de Fernando Haddad também deu mostras de crescimento. Apresenta 18% dos perfis, 6 a mais em relação à semana passada, e 23,6% de retuítes. Haddad e sua vice, Manuela D’Ávila, já têm maior impacto nos debates do grupo do que o ex-presidente Lula. Manuela é destaque dentro do núcleo, já que suas discussões referiam-se à mobilização feminina contra Bolsonaro. A sabatina de Haddad no Jornal Nacional também gerou bastante engajamento, com comparações às entrevistas dos demais candidatos. Os alinhados a Guilherme Boulos, do PSOL, também fazem parte do grupo vermelho.

Grupo laranja

É representado pelas bases de apoio a João Amoêdo, Henrique Meirelles, Geraldo Alckmin e Alvaro Dias. Correspondem a 7,4% dos perfis, 4 pontos percentuais a mais em relação à semana passada, e 4,8% das interações. O grupo se mantem afastado da base de Bolsonaro, mas personalidades que tiveram impacto no grupo azul, como Danilo Gentilli, influenciaram no grupo laranja após críticas à esquerda.

Contas e interações automatizadas

Bolsonaro segue como principal núcleo de interferência motivadas com robôs, totalizando 471.117 interações automatizadas. Os perfis de mesma categoria representam 1,1% do total, enquanto que no núcleo vermelho o percentual fica em 0,7%. As interações somam 165.225, seguidas pelas 8.375 do grupo verde. O grupo laranja apresenta 10.595 interações e 0,3% de contas automatizadas. Ainda assim, não é o grupo com menor interferência motivada por robôs. O grupo rosa tem somente 0,2% de contas que se encaixam nesse tipo de perfil, e das 988.575 interações, 26.304 são automatizadas.

Última atualização por Diana Cheng - 21/09/2018 - 16:56