Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Instagram investe em ferramentas para diminuir o bullying na rede social

Vitória Fernandes - 10/07/2019 - 15:43
Para tentar combater os comentários indesejados desde a sua origem, a rede social usará Inteligência Artificial para avisar aos donos do comentário que aquilo é inapropriado (Imagem: Pixabay)

O Instagram lançou uma campanha que busca acabar com o bullying na rede social. Com novas funções, o usuário pode restringir os comentários que não quer que apareçam em suas postagens, tornando-os invisíveis para todos, menos para a pessoa o escreveu, de acordo com a reportagem do Business Insider.

Assim, a pessoa que cometeu o bullying não saberá que foi restringida e não poderá visualizar as reações do usuário, como a visualização de mensagens ou até a notificação de “online” do perfil, o que torna a convivência mais simples, sem a necessidade de bloquear completamente o usuário indesejado.

“Nós ouvimos de pessoas mais jovens que eles relutam para bloquear, parar de seguir ou até reportar os usuários que cometem bullying, pois isso pode aumentar a gravidade da situação, especialmente se eles têm contato com a pessoa na vida real”, declarou Adam Mosseri, líder do Instagram.

Para tentar combater os comentários indesejados desde a sua origem, a rede social também usará Inteligência Artificial para avisar aos donos do comentário que aquilo é inapropriado, perguntando se ele realmente deseja ir em frente com a ofensa ou se quer apagar a postagem.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

“Nossa missão é conectar você com as pessoas e coisas que ama, o que só funcionará se as pessoas se sentirem confortáveis em se expressar no Instagram. Nós sabemos que o bullying é um desafio enfrentado por muitas pessoas, principalmente os mais jovens, e estamos comprometidos a lutar contra esse problema online. Então, estamos repensando toda a experiência do aplicativo para mudar essa situação”, declarou Mosseri.

Última atualização por Diana Cheng - 10/07/2019 - 15:43