Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Indústrias Romi fecha em alta de 11% com aprovação de JCP

Investing.com Brasil - 11/09/2019 - 17:25
Romi
As ações da companhia são negociadas com ganhos de 4,89% a R$ 13,29

Por Investing.com

A Indústrias Romi (ROMI3) informou ao mercado que seu Conselho de Administração aprovou, ad referendum da Assembleia Geral Ordinária, a distribuição de juros sobre o capital próprio (JCP) para os acionistas da companhia, a serem imputados aos dividendos obrigatórios do exercício de 2019, em total bruto de R$ 25.143.058,80.

Com isso, as ações da companhia fecharam em alta de 11,13%, negociadas a R$ 14,08. Com base no valor de fechamento de ontem, o yield da operação é de 2,68%.

O montante a ser pago representa um valor aproximado de R$ 0,40 por ação, para os investidores posicionados com os papéis da companhia na sessão do dia 16 de setembro. Descontado dos impostos, o valor líquido será de R$ 0,34 por papel. Sendo assim, as ações passam a ser negociadas em ex-JCP no dia 17 e a data de pagamento em 29 de novembro de 2019.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Segundo trimestre

A Indústrias Romi encerrou o segundo trimestre de 2019 com prejuízo líquido ajustado de R$ 174 mil, uma melhora em relação as perdas de R$ 18,263 milhões do começo do ano, mas uma queda na comparação com o lucro de R$ 5,37 milhões do mesmo período de 2018.

No período, a receita operacional líquida foi de R$ 167,859 milhões, contra R$ 120,766 milhões dos três primeiros meses do ano, alta de 39%. Já na comparação com o mesmo período de 2018, o crescimento foi de 6,2%, quando as receitas foram de R$ 158,119 milhões.

O Ebitda ajustado do segundo trimestre foi de R$ 6,688 milhões, o que reverte o resultado negativo de R$ 9,616 milhões do período entre janeiro e março, mas fica abaixo dos R$ 9,969 milhões do mesmo período do ano passado. Desta forma, o Ebitda ajustado foi de 6,3% em 2018, para 4,0% entre abril e junho. No entanto, no primeiro trimestre foi negativo em 8%.

Última atualização por Renan Dantas - 11/09/2019 - 17:26