Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Fast

Ibovespa renova recordes: BTG Pactual e Via Varejo saltam mais de 4%

06/12/2019 - 12:10
BTG Pactual
Por volta do meio-dia, papéis da instituição financeira registravam alta de 4,10% (Imagem: Money Times)

O Ibovespa engatava a quinta sessão consecutiva de alta nesta sexta-feira, renovando máxima histórica acima dos 111 mil pontos, com o noticiário externo respaldando o sentimento mais positivo de investidores com a economia brasileira.

Às 12:10, o Ibovespa subia 0,60%, a 111.287,53 pontos. Na máxima até o momento, alcançou 111.429,66 pontos. O volume financeiro no pregão somava 2,95 bilhões de reais. Com tal desempenho, o Ibovespa caminhava para um ganho semanal próximo de 3%.

No exterior, dados de emprego dos Estados Unidos mostraram que a criação de vagas naquele país registrou o maior aumento em mais de dez meses em novembro, confirmando que a economia manteve-se em trajetória de expansão moderada.

Mais cedo, também repercutiu positivamente anúncio da China de que vai abrir mão de tarifas sobre alguns embarques de soja e carne suína dos Estados Unidos, em meio a negociações para um acordo comercial entre os gigantes econômicos.

EUA Desemprego Emprego Trabalho
Criação de vagas de emprego nos EUA em novembro bateu aumento em mais de dez meses (Imagem: Reuters/Monica Almeida)

Em Wall Street, o S&P 500 subia 0,7%

Na visão do presidente da BGC Liquidez, Ermínio Lucci, o cenário externo mais benigno, com sinais de que os EUA e a China caminham para um acordo de primeira fase nas negociações comerciais, ajuda o mercado brasileiro.

Mas, para ele, o que está por trás dos últimos recordes do Ibovespa é a melhora nas perspectivas de crescimento do país.

“O Brasil está começando a crescer… o que em um ambiente de juros e inflação baixos alimenta a demanda por ativos de risco”, destacou, vislumbrando manutenção da trajetória positiva do mercado acionário brasileiro no médio prazo.

Brasil Rio de Janeiro América Latina
O Brasil está começando a crescer… o que em um ambiente de juros e inflação baixos alimenta a demanda por ativos de risco, segundo especialista (Imagem: Robert Nyman/Unsplash)

Nesta sexta-feira, dados mostraram que a inflação oficial do Brasil acelerou em novembro, com o IPCA registrando elevação de 0,51%, a maior alta para o mês em quatro anos, mas ainda abaixo do centro da meta no resultado em 12 meses.

“No geral, acreditamos que esse resultado é consistente com o cenário base do Banco Central e corrobora corte de 0,50 ponto percentual (na Selic) este ano”, afirmou em relatório a XP Investimentos em nota a clientes.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

O Comitê de Política Monetária (Copom) do BC reúne-se na próxima semana para decidir sobre a taxa básica de juros.

Do ponto de vista gráfico, os analistas Fábio Perina e Larissa Nappo, do Itaú BBA, avaliam que o Ibovespa está em tendência de alta, a caminho do próximo objetivo em 114 mil pontos. Passando deste, o próximo é em 120 mil pontos.

Destaques

BTG Pactual (BPAC11) subia 4,2%, tendo tocando máxima histórica intradia a 74,10 reais mais cedo, conforme muitos agentes financeiros veem os papéis como melhor veículo para se anteciparem ao IPO da XP Inc, aguardado para a próxima semana.

Em 2019, as units do BTG acumulam elevação de mais de 200%.

Via Varejo (VVAR3) retomava o viés de alta e avançava 4,1%, conforme segue respaldada por perspectivas positivas para o consumo no país e mudança na gestão da companhia, dona das bandeiras Ponto Frio e Casas Bahia. B2W (BTOW3) subia 1% e Magazine Luiza (MGLU3) ganhava 1,1%.

Itaú Unibanco (ITUB4) tinha decréscimo de 0,2%, caminhando fechar a semana com alta de cerca de 5%, também tendo no radar o IPO da XP Inc, previsto para ser precificado no próximo dia 10. Bradesco (BBDC4) mostrava elevação de 0,4%, sinalizando uma alta de mais de 4,5%

– Petrobras (PETR3;PETR4)  avançavam 0,8% e 1,2%, respectivamente, apesar da queda dos preços do petróleo, ainda refletindo a repercussão positiva das sinalizações da companhia a investidores em evento nesta semana.

Em evento em Londres, nesta sexta-feira, o presidente da petrolífera, Roberto Castello Branco, disse que a companhia planeja vender sua fatia na petroquímica Braskem (BRKM5)em no máximo 12 meses.

BR Distribuidora (BRDT3), por sua vez, caía 0,6%.

Vale (VALE3) mostrava acréscimo de 1%, acompanhando a alta do setor de mineração e siderurgia na Europa, diante do clima mais positivo em relação ao comércio global.

Azul (AZUL4) subia 0,7%, tendo de pano de fundo dados operacionais de novembro, com aumento de 30,6% no tráfego de passageiros consolidado (RPKs) ante o mesmo mês de 2018, com alta de 32,5% na capacidade. A rival Gol (GOLL4) tinha elevação de 1,54%.

–  Cyrela (CYRE3) tinha elevação de 2,3%, após o conselho de administração da companhia aprovar pagamento de 400 milhões de reais em dividendos intermediários, tendo de pano de fundo sinais de retomada do setor de construção civil.

Última atualização por Lucas Simões - 06/12/2019 - 12:11