Últimas Notícias Cotações Governo Bolsonaro Comprar ou Vender Empresas Economia
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Ibovespa futuro segue exterior e inicia a sexta-feira com desvalorização

Investing.com Brasil - 09/11/2018 - 9:18

Por Investing.com – Após fechar em forte queda na sessão de ontem devido à decisão do Fomc, o índice futuro do Ibovespa inicia a sessão desta sexta-feira com nova desvalorização de 0,25% aos 85.862 pontos, puxado pelo mercado externo. Na cela local, o mercado deve ficar atento à formação do governo de Bolsonaro e à divulgação dos balanços trimestrais.

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) recuou 0,11 por cento na primeira prévia de novembro, ante avanço de 1,06 por cento no mesmo período do mês anterior, de acordo com os dados divulgados nesta sexta-feira pela Fundação Getulio Vargas (FGV). O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.

Com a redução de 1,8% na indústria nacional, sete dos 15 locais pesquisados mostraram taxas negativas de agosto para setembro de 2018, na série com ajuste sazonal. Os recuos mais intensos foram no Amazonas (-5,2%), São Paulo (-3,9%), Bahia (-3,3%) e Paraná (-3,1%). Por outro lado, Ceará (3,7%) e Pará (3,5%) apresentaram os maiores avanços no mês. Pernambuco (1,7%), Goiás (1,4%), Rio Grande do Sul (1,3%), Rio de Janeiro (1,0%), Espírito Santo (0,9%) e Mato Grosso (0,9%) completaram o conjunto de locais com resultados positivos.

Na agenda americana, destaque fica para a divulgação dos dados do índice de preços ao produtor. No entanto, os investidores estarão atentos ao pronunciamento de três dirigentes do Federal Reserve, que falam pela primeira veze depois da decisão de ontem.

Bolsas Internacionais

Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 1,05 por cento, a 22.250 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 2,39 por cento, a 25.601 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 1,39 por cento, a 2.598 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 1,41 por cento, a 3.167 pontos.

A sexta-feira mostra-se como um dia de perdas para os principais mercados da Europa. Em Frankfurt, o DAX registra perdas de 0,44% aos 11.476 pontos, enquanto que em Londres o FTSE recua 0,55% aos 7.101 pontos. Já em Paris, o CAC cai 0,68% aos 5.096 pontos.

Commodities

Na sessão desta sexta-feira na bolsa chinesa de Dalian, na China, os contratos futuros do minério de ferro registraram valorização. O ativo de maior liquidez, com data de entrega em janeiro de 2019, apresentou ganhos de 1,94%, encerrando o dia negociado a 525,00 iuanes por tonelada, o que representa uma variação de 10 iuanes na jornada.

Já o dia foi negativo na bolsa de mercadorias de Xangai, onde são transacionados os contratos do vergalhão de aço. O ativo de maior liquidez, com data vencimento em janeiro de 2019, teve queda de 7 iuanes para um total de 3.933 iuanes por tonelada, enquanto o segundo mais líquido, de maio do próximo ano, recuou 32 iuanes para 3.513 iuanes por tonelada.

A sessão também é marcada por queda da cotação do petróleo nos mercados internacionais. O barril do tipo WTI, negociado em Nova York, perde 0,87%, ou US$ 0,53, a US$ 60,14. Em Londres, o Brent recua 0,76%, ou US$ 0,54, a US$ 70,11.

Mercado Corporativo

A companhia de eletricidade Equatorial Energia (SA:EQTL3) teve lucro líquido ajustado de 262 milhões de reais no terceiro trimestre, alta de 3,9 por cento ante o mesmo período do ano passado, em desempenho impulsionado por um melhor resultado financeiro consolidado, informou a companhia nesta quinta-feira.

A empresa, que controla distribuidoras de energia no Maranhão, Pará e Piauí, tem negócios em transmissão e comercialização e opera alguns ativos de geração, teve lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado de 576 milhões de reais no período, avanço 14,6 por cento na comparação anual.

A receita operacional líquida consolidada da companhia somou 2,7 bilhões de reais no trimestre, alta de 12,5 por cento ante os 2,4 bilhões de reais no mesmo trimestre de 2017.

A B3 teve crescimento robusto do lucro do terceiro trimestre, na esteira da expansão de dos dígitos nas receitas de suas principais linhas de negócios em um período de grande volatilidade do mercado financeiro no país.

A companhia, que opera bolsa de valores, mercado de balcão e mercado de derivativos, anunciou nesta quinta-feira que seu lucro líquido de julho a setembro cresceu 38,4 por cento ante mesma etapa de 2017, para 465,4 milhões de reais. Em bases recorrentes, o lucro subiu 37,8 por cento, a 613,4 milhões.

O resultado foi divulgado pouco antes da B3 anunciar que assinou proposta vinculante para comprar 75 por cento da BLK Sistemas Financeiros, especializada em telas e algoritmos de negociação para corretoras e investidores institucionais. A empresa não informou o valor da operação.

A fabricante brasileira de cosméticos Natura (SA:NATU3) teve lucro líquido consolidado de 132,8 milhões de reais no terceiro trimestre, mais que dobro do resultado apurada um ano antes, impulsionada por despesas financeiras menores e firme resultado operacional.

A geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) avançou 7,2 por cento entre julho e setembro, para 478,8 milhões de reais.

Desconsiderando os efeitos da hiperinflação na Argentina e outros efeitos no Brasil, incluindo custos de transformação da marca The Boody Shop, o Ebitda ajustado pró-forma foi de 496,6 milhões de reais, alta de 33,7 por cento ano a ano.

A Natura ainda apurou receita líquida consolidada de 3,24 bilhões de reais no terceiro trimestre, alta de 37,1 por cento ano a ano, e a margem bruta aumentou 240 pontos base, para 73,3 por cento. Só no Brasil, a companhia registrou um crescimento de 9,4 por cento nas vendas e margem bruta de 70,3 por cento.

A operadora de modais de logística Rumo (SA:RAIL3) teve lucro de 229 milhões de reais de julho a setembro, o primeiro resultado trimestral positivo em 2018, o suficiente para levar o acumulado do ano para o azul, apoiada em evolução operacional e na forte queda do custo da dívida.

O lucro apresentado pela empresa de ferrovias e terminais portuários nesta quinta-feira é quase o triplo do obtido em igual etapa de 2017. Com isso, no acumulado de 2018 que era negativo até junho, passou a lucro de 135,8 milhões de reais, ante prejuízo de 201,1 milhões contra mesmo intervalo do ano anterior.

Com a manutenção do cenário recente de controle de despesas aliado a receitas crescentes, a Rumo caminha para ter no acumulado de 2018 o primeiro lucro anual em cinco anos.

O governo editará uma medida provisória que permitiria a realização de um leilão para contratar uma nova empresa para prestar serviços de distribuição de energia no Amazonas, em caso de fracasso na tentativa da Eletrobras (SA:ELET3) de vender sua unidade responsável pelo fornecimento local, disse nesta quinta-feira o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), André Pepitone.

“Está em estágio avançado a elaboração dessa MP, que em grandes linhas permite que a Aneel faça uma licitação para que uma empresa explore os ativos da concessão, para que se promova de fato a alteração do controle societário”, afirmou ele a jornalistas.

Pepitone ressaltou que essa MP garantiria “segurança jurídica” e “estabilidade do serviço prestado ao consumidor” mesmo em um caso de não realização ou fracasso no leilão de privatização da distribuidora da Eletrobras no Amazonas, previsto para o próximo dia 27.

A administradora de planos de saúde coletivos Qualicorp (SA:QUAL3) teve lucro líquido de 110 milhões de reais no terceiro trimestre, queda de 1,1 por cento sobre o mesmo período do ano passado.

O resultado operacional medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado foi de 242 milhões de reais, recuo de 8,2 por cento na comparação anual. A margem caiu de 50,6 para 49,3 por cento.

A companhia apurou receita líquida de 491 milhões de reais nos três meses encerrados em outubro, recuo de 5,7 por cento sobre o terceiro trimestre do ano passado.

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) aprovou nesta quinta-feira o pagamento à Petrobras (SA:PETR4) de 1,04 bilhão de reais em subsídios ao diesel referentes a agosto, segundo informou a autarquia em nota.

Os subsídios estão previstos em programa do governo federal lançado em junho como resposta a uma greve história de caminhoneiros.

Agenda de Autoridades

O presidente Michel Temer tem como único compromisso público oficial nesta sexta o jantar da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira em homenagem ao Senhor Presidente da República.

Ainda em viagem a Londres, o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, visita na parte da manhã a sede do jornal Financial Times. Em seguida, participa de almoço organizado pelo think tank European Economics & Financial Centre (EEFC). Na parte da tarde, antes de voltar ao Brasil, concede entrevista ao vivo para o programa Talking Business (BBC World).

Leia mais sobre: Mercados
Últimas Notícias