Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Guerra comercial e Brexit obscurecem perspectiva econômica global, aponta Fitch

Reuters - 10/09/2019 - 10:14
Temores sobre Brexit e guerra comercial centram preocupações dos investidores (Imagem: Pixabay)

A escalada da guerra comercial entre Estados Unidos e China e a perspectiva de um Brexit sem acordo estão entre as rupturas nas políticas comerciais que estão “obscurecendo” as expectativas econômicas globais, disse a Fitch Ratings na segunda-feira.

Um cenário de Brexit sem acordo pode levar a uma “recessão significativa do Reino Unido” em 2020, disse a agência, acrescentando que as perspectivas de crescimento da zona do euro serão “substancialmente mais baixas” no caso de uma saída da União Europeia (UE) sem acordo.

A nota acrescentou que o impacto da desaceleração da China também tem sido um fator significativo nas recentes decepções com o crescimento na Zona do Euro.

Chegou a nova newsletter Comprar ou Vender

As melhores dicas de investimentos, todos os dias, em seu e-mail!

A Fitch disse que a taxa de crescimento da economia chinesa deverá cair para 6,1% em 2019 e 5,7% em 2020, em comparação com as previsões anteriores de 6,2% e 6,0%, respectivamente.

A agência disse que os países da Ásia e da região do Pacífico estão de forma geral estáveis em meio aos riscos crescentes ao crescimento global, com a única perspectiva negativa na região em Hong Kong, que sofreu rebaixamento de ratings na semana passada após meses de protestos.

Comentando as atividades dos bancos centrais, a Fitch disse que parece provável que o Federal Reserve reduzirá a taxa de juros em mais 25 pontos-base e depois disso é provável que deixe a taxa estável até 2020.

A Fitch acrescentou que o Banco Central Europeu (BCE) deve anunciar nova e significativa flexibilização monetária em breve, incluindo o reinício das compras de ativos em outubro.

O BCE se reunirá na quinta-feira, com investidores convencidos de que o banco anunciará uma nova onda de estímulo monetário na reunião.

Última atualização por Valter Outeiro da Silveira - 10/09/2019 - 10:14