Últimas Notícias Imóveis Carteiras recomendadas Comprar ou vender Finanças Pessoais Cripto Economia
Cotações por TradingView

Conteúdo Patrocinado

Ganhe dinheiro no sobe e desce da Bolsa com ajuda de robôs; veja como é fácil

09/01/2018 - 10:40

Richard Thaler, vencedor do Prêmio Nobel de Economia de 2017, é conhecido como o “pai da economia comportamental” – o estudo de como a psicologia e a economia se cruzam. Frequentemente, as emoções, os vieses e a falta de autocontrole prejudicam os lucros de um investidor na hora de aplicar ou tomar uma decisão.

Evitar o obstáculo da mente é uma das principais vantagens do investimento em Bolsa via estratégias automatizadas, os chamados robôs. Programados para garimpar oportunidades, os robôs compram e vendem contratos futuros na BM&F e ações, com uma capacidade de análise ininterrupta e bem superior ao olho humano.

Acessíveis a um número cada vez maior de pessoas devido aos custos baixos de corretagem nos mini-contratos, os robôs têm sido uma opção aos traders que reclamam da falta de tempo para operar. De quebra, há o aspecto educacional. A curva de aprendizado de um leigo ganha em longevidade ao gerencia-la junto a um robô.

“Acompanhamos de perto algumas consequências da experiência dos clientes traders com as estratégias automatizadas. O uso dos algoritmos potencializa o acompanhamento dos ativos, seus indicadores técnicos e a capacidade de execução de diversas estratégias simultaneamente. Outra consequência interessante é a redução do fator emocional na tomada de decisões. Em suma, acreditamos que os algoritmos, quando bem calibrados, maximizam nossa racionalidade.” opina Daniel Braga, assessor de investimentos especializado em atender clientes traders e sócio da BR Advisors.

Rodrigo Imperatriz, assessor de investimento da Blue Star Private, completa: “Todo mundo que quer contratar uma estratégia automatizada precisa antes testar bastante. Entender quais são as limitações, os riscos, conhecer as estratégias, o desenvolvedor, ficar um tempo operando no simulador para depois ir para a conta real”.

Foi pensando em equiparar o status do investidor pessoa física ao do investidor institucional que Edson Jr fundou a NewBot, criadora de um dos robôs de investimento mais populares do mercado. “O investidor iniciante que não sabe operar nem mexer no homebroker poderia ter uma estratégia na qual ele entendesse o conceito, parametriza e coloca na nuvem para rodar. Entra na praticidade”, diz.

Um dos robôs procurados pelos clientes de Edson é o Newbot Gold. Trata-se de uma estratégia que segue o fluxo do mercado. Imagine, por exemplo, um preço subindo. Quando parar de subir e iniciar a mudança de rota para venda, o robô vende junto. Há também a estratégia de seguidores de tendências, na qual o robô fica comprado ou vendido de acordo com a tendência – esta rendeu frutos em ações nos últimos 12 meses.

A título de ilustração, segundo números da Newbot, quem investiu R$ 9.000 utilizando a estratégia do robô em dólar cheio da Newbot no primeiro dia do ano de 2017 conseguiu um retorno líquido de 565,91% até novembro e acumulava um patrimônio de R$ 59.931, em um total de 12.048 trades. Na mesma base de comparação, um investimento inicial de R$ 150.000 no robô de mini contrato de dólar rendeu 107,21% após 3.669 trades, resultando em um saldo de R$ 310.820.

Dólar cheio

Mini dólar

“É incrível o grau de complexidade que as plataformas permitem alcançar. Identificamos basicamente duas grandes tendências por parte dos traders, são elas: Maior sofisticação das estratégias e a outra, uma boa diversificação entre estratégias descorrelacionadas. Este mercado esta se profissionalizando rapidamente”, observa Braga, que vê a modalidade crescendo entre pessoas físicas.

Tanto a BR Advisors, sediada no Rio de Janeiro, quanto a Blue Star Private, de São Paulo, fornecem um serviço de auxílio aos clientes interessados em robôs. Solucionam problemas operacionais e fomentam a troca de experiências.

Neste contexto, pedem atenção aos navegantes de primeira viagem. A estratégia em Bolsa contém riscos e o próprio robô carrega riscos de tecnologia e de conexão. É algo que requer algum monitoramento. “Não é ligar o robô e acabou os problemas. Há uma série de precauções. Com o passar do tempo, usando uma estratégia ao longo do tempo, você fica mais tranquilo”, afirma Daniel Braga.

Edson, da Newbot, destaca a questão da disciplina, especialmente a quem pretende investir com alavancagem. “Você tira o emocional do jogo e passa a trabalhar com lógica. Uma regra para entrar, uma regra para sair. Simples assim. Essa é a vantagem.”

Últimas Notícias

PT registra Lula no TSE

15/08/2018 - 18:15