Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Finanças pessoais: 5 sinais de que você está se autossabotando

Diana Cheng - 21/05/2019 - 19:24
Segundo a planejadora, o acúmulo de dívidas acaba impactando a vida pessoal, deixando qualquer um frustrado e com o sentimento de paralisação e fracasso

Finanças pessoais e emoção não devem andar juntas. Pelo menos é isso o que pensa Annalisa Dal Zotto, planejadora financeira e sócia da Par Mais.

“Nos autossabotamos financeiramente quando, diariamente, não valorizamos os pequenos gastos, quando compramos por impulso, quando caímos nos ‘efeitos manadas’, quando simplesmente não enxergamos que sai muito caro entrar no cheque especial e quando vivemos comprando ‘no parcelado'”, diz Zotto.

Segundo a planejadora, o acúmulo de dívidas acaba impactando a vida pessoal, deixando qualquer um frustrado e com o sentimento de paralisação e fracasso. “Para mudar, é necessário novas atitudes, estudar e pesquisar meios de não se autossabotar”, afirma.

Continua depois da publicidade

Veja a seguir a lista preparada por Zotto e descubra se você está se autossabotando financeiramente:

1. Gastar ou comprar por impulso

Antes de comprar algo, reflita se o produto ou serviço é realmente necessário.

“Pare, saia da loja, do computador ou do celular por pelos menos meia hora. Se distraia. Quando voltar para finalizar a compra, você estará mais racional”, explica a planejadora.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

2. Gastar tudo o que ganha e não poupar nada

Segundo Zotto, a maioria das pessoas toma essa atitude. Pode parecer difícil poupar, por isso é recomendado que o processo seja realizado aos poucos. Assim que se torna hábito, fica mais fácil.

“Trace um objetivo. Pode ser pelo prazer de comprar à vista um eletrodoméstico, uma roupa legal ou mesmo uma pequena viagem. Depois de perceber que é possível, vai se tornar real e factível poupar”, pontua a especialista.

3. Não dar importância ao orçamento doméstico e só usar a “calculadora mental”

As pessoas não sabem o quanto realmente gastam. Fazer as contas “de cabeça” leva a esquecer que existem mais contas a serem feitas, como o IR retido na fonte e o INSS. Por isso, escreva em uma planilha ou aplicativo todas as suas despesas diárias, rotineiras e eventuais. Depois, analise onde está desproporcional e veja se é possível encontrar soluções para reduzir o custo.

4. Cair em efeitos “manadas” e se tornar “Maria vai com as outras”

Muitos seguem à risca orientações financeiras erradas por moda. Para não ser mais um, é preciso pesquisar antes de tomar qualquer atitude.

“Vivemos isso faz pouco tempo com as criptomoedas. Alguns ganharam muito e milhões perderam muito…”, relembra Zotto.

5. Não ter objetivos de vida definidos e não pensar no futuro

É muito importante ter uma reserva financeira, principalmente para emergências. Portanto, defina objetivos claros e factíveis para usufruir de uma vida financeira mais tranquila.

Money Times no Messenger!
Notícias selecionadas para você