Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Títulos de longo prazo apresentam os maiores ganhos de 2018

Diana Cheng - 09/01/2019 - 18:42

A Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), em seu Boletim de Renda Fixa, divulgado nesta quarta-feira (9), revelou que os títulos de longo prazo apresentaram os maiores ganhos de 2018. O IMA Geral, que registra a variação média dos papéis públicos em mercado, acumulou 10% de rentabilidade no ano, 2,8 pontos percentuais a menos do que em 2017.

Chegou o Pré-Market Money Times! CADASTRE AGORA e Receba antes do mercado

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Grafico_1_RF_201901.png

O IMA-B5+, que acompanha carteiras de NTN-Bs com vencimentos acima de cinco anos, registrou rentabilidade de 15,4%. Por sua vez, o IRF-M1+, que indica a variação dos títulos prefixados com prazos acima de um ano, teve retorno de 12,3%.

Continua depois da publicidade

“Tivemos sucessivos períodos de incertezas no ano passado: internos, como as eleições e a greve dos caminhoneiros, e externos, como as crises em países emergentes e as dúvidas relacionadas às economias dos Estados Unidos e da China”, diz Hilton Notini, gerente de Preços e Índices da associação. “Esses fatores trouxeram mais volatilidade aos preços dos ativos, comprovada pelas variações dos índices em 2018”.

Em relação aos títulos com prazos mais curtos, o IMA-B5, que reproduz as carteiras de NTN-Bs até cinco anos, obteve crescimento de 9,9%, enquanto o IRF-M1, que reflete os títulos prefixados de até um ano, apresentou valorização de 7%. A variação mais baixa ficou para o IMA-S, subíndice que agrega o menor risco ao acompanhar as Letras Financeiras do Tesouro em mercado, com crescimento de 6,4%.

Os títulos corporativos também deram mostras de valorização. O IDA-Geral (Índice de Debêntures Anbima) fechou 2018 com 9,05% de rentabilidade. O IDA IPCA, que reflete as debêntures incentivadas, variou positivamente em 12,5%.

Última atualização por Gustavo Kahil - 09/01/2019 - 18:42