Últimas Notícias Nova Previdência Cotações Comprar ou Vender Criptomoedas Empresas
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Relação de renda e dívida no Brasil é o dobro da média dos desenvolvidos

Diana Cheng - 08/02/2019 - 19:31

O comprometimento da renda do brasileiro com pagamento de juros e amortizações é o dobro da média apresentada por 17 países desenvolvidos, segundo dados do Banco de Compensações Internacionais (BIS) e do estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Enquanto a média dos 17 países submetidos à avaliação beira em 9,8%, no Brasil, o percentual é de 20%.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Segundo o BIS e o Ipea, as dívidas são as principais responsáveis pelo alto nível de comprometimento no país. O endividamento das famílias movimenta a economia e faz com que a população brasileira tenha acesso a um nível de vida melhor. No Brasil, as dívidas correspondem a pouco mais da metade da renda anual – 55%. Para se ter uma ideia, a média da amostra de 28 países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) é de 130%.

“Os brasileiros investem menos em aquisição de imóveis, por exemplo, mas gastam muito com cartão de crédito, contribuindo para um aumento da taxa de juros, haja vista a falta de garantia típica desse tipo de crédito”, comenta Estêvão Kopschitz, pesquisador do Ipea.

A comparação entre o Brasil e os demais países dá a entender que a parcela do endividamento das famílias brasileiras com crédito habitacional continue aumentando. Atualmente, o percentual está em 43%. Em territórios internacionais, como Japão, Alemanha e Noruega, a variação está entre 67% e 97%.

“A dívida mais longa e com mais garantias tem menos impacto no orçamento doméstico, porque a amortização do principal é diluída em muitos anos e a qualidade da garantia permite que os juros sejam mais baixos”, explica Kopschitz.

Leia mais sobre: Brasil, Dívidas, Economia, Internacional, Ipea
Receba dicas EXCLUSIVAS de investimento em seu e-mail – Não é propaganda